Acusado de ser estuprador em série estava solto e atacou de novo


O técnico em eletrônica Alder Ronaldo da Silva Maciel, 46 anos, mesmo respondendo a nove processos por estupro, estava em liberdade. O resultado, conforme acusação de uma jovem de 19 anos, é que ele teria cometido seu décimo estupro. Quem descobriu as acusações que pesam contra o técnico em eletrônica foi a delegada Alynne Lima, titular do 16º Distrito Integrado de Polícia (DIP), que durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira, dia 11, às 10h, falou sobre o cumprimento de mandado de prisão preventiva. O infrator foi preso pela equipe do 16º DIP na manhã de terça-feira, dia 10, por volta das 11h, na Travessa Ayrão, bairro Praça 14 de Janeiro, zona Sul da capital.

Segundo a delegada, as investigações em torno do caso foram iniciadas após uma jovem de 19 anos procurar a equipe do 16º DIP para formalizar Boletim de Ocorrência (BO) de estupro ocorrido no dia 8 agosto deste ano. Na ocasião, a vitima relatou que estava em via pública quando foi abordada por Alder, que a ameaçou de morte, exibindo uma arma de fogo. Ele a obrigou a entrar em seu carro, um Renault, modelo Logan, de cor prata e placas OAO-4625.

“Após a vítima entrar no automóvel, o infrator consumou o estupro e, em seguida, abandonou a jovem em via pública. Depois que ela detalhou as características do infrator e do carro utilizado por ele no dia do crime, produzimos um retrato falado. Diante desse documento corremos atrás da identificação do autor do crime e chegamos até Alder. Ao longo das investigações descobrirmos que ele responde a nove processos na Justiça por crimes sexuais e não estava sendo encontrado pela Justiça”, explicou Alynne Lima.

Conforme a titular do 16º DIP, durante depoimento a jovem informou, ainda, que dentro do carro havia uma bíblia guardada no painel do veículo e que Alder consumou o ato sexual na frente do objeto. No momento da prisão do infrator os policiais encontraram a Bíblia exatamente  no local descrito pela vítima. Diante disso, representei mandado de prisão preventiva em nome de Alder. O documento foi expedido no dia 27 de setembro deste ano, pelo juiz Luís Alberto Nascimento Albuquerque, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Manaus”, esclareceu a delegada.

Alynne Lima ressaltou, ainda, que o técnico em Eletrônica argumentou, em depoimento, que não consegue parar de cometer os atos libidinosos. O carro utilizado pelo infrator no dia do crime pertence à companheira dele. O veículo foi apreendido para que as vítimas pudessem fazer o reconhecimento, mas será devolvido à proprietária.

O acusado foi indiciado por estupro. Ao término dos procedimentos cabíveis no 16º DIP, Alder será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

FOTOS: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da PC-AM