Adail, seu vice, e a Casa dos Padres


casa-padres-coari-3

Reunião política e entrevista do vice-prefeito na “Casa dos Padres”

Uma foto que está num dos principais blogs de Coari, de propriedade do ex-chefe da Casa Civil de Adail Pinheiro, agora ocupando o cargo de Secretário de Comunicação, o bacharel em Ciências Políticas Daniel Maciel, conforme está em seu perfil no blog, chama atenção para quem conhece a cidade. A primeira pergunta que vem a mente é: Mas essa não é a chamada Casa dos Padres, dependências que fazem parte da igreja central de Coari, a Paróquia de São Sebastião, também conhecida como igreja de Sant’ Ana? A foto causa estranheza já que ela está numa matéria em que o vice-prefeito de Adail, Igson Monteiro, após a prisão do prefeito, aparece em reunião com vereadores da cidade, dando entrevista em cadeia de rádio – mais precisamente três das quatro rádios que existem em Coari, todas pagas pela prefeitura, ou seja, com dinheiro público. Na entrevista de rádio, reproduzida pelo blog, num recado direto aos críticos do prefeito Adail Pinheiro, que está preso acusado de envolvimento em casos de exploração sexual de crianças e adolescentes, o vice-prefeito diz: “Estamos trabalhando para dar continuidade a (sic) normalidade da administração e assim será sem interferência de terceiros” – explicamos que a expressão “sic” é porque está faltando uma crase no “a”, mas reproduzimos a declaração como está escrita.

casa-padres-coari-2

Imagem externa do imóvel (primeiro à esquerda) denominado “Casa dos Padres” que faz parte da Diocese de Coari

E por falar em “normalidade”, palavra utilizada pelo vice-prefeito Igson Monteiro – mas meio fora do contexto porque o que está acontecendo em Coari não tem nada de normal -, também não é nada normal um misto de reunião política e entrevista dentro das dependências onde moram os padres. Mas, como o Radar procura checar até mesmo uma mera suspeita, buscamos saber através de parceiros do site em Coari, se aquela era realmente a Casa dos Padres. Dito e certo. As informações são de que o prefeito Adail Pinheiro alugou da igreja as dependências do imóvel para instalar a secretaria de Cultura, mas aquele passou a ser o local também de reuniões políticas, principalmente aos finais de semana, quando precisava de um lugar onde não ser encontrado, já que ninguém imaginaria a permissão da igreja para tais encontros políticos. Agora, após a prisão do prefeito, o mesmo está sendo feito pelo vice-prefeito Igson Monteiro – a reunião e a entrevista foram feitas num domingo.

O Radar tentou contato com o Bispo Marcos Piatek, através do telefone (97) 2561 22xx, da Diocese de Coari – até outubro era prelazia – em busca de informações sobre o uso das dependências da Paróquia pelo prefeito e vice-prefeito de Coari para eventos políticos aos finais de semana, mas os telefonemas não foram atendidos.  Na época da campanha política de 2012, a Missão Redentorista, que faz parte da Igreja Católica, emitiu nota pública esclarecendo que estava sendo aberto processo disciplinar contra o então candidato a vice de Adail, Igson Monteiro, não só por ter lançado candidatura sem o conhecimento prévio, mas principalmente por ter cometido falsidade ideológica ao se apresentar na campanha como padre. Igson Monteiro era irmão redentorista, uma opção que existe dentro da Missão Redentorista, mas que não possui a principal prerrogativa exercida por uma padre que a celebração de missas. (Any Margareth)