Após acidente que matou 15 pessoas, prefeitura promete mais uma vez restringir circulação de veículos pesados


Acidente-dijalma-batistaNo ano passado, o recém- eleito prefeito Artur Neto (PSDB), assinou um Decreto n° 2.100, de 10 de janeiro de 2013, restringindo a circulação de veículos pesados pelas ruas e avenidas de Manaus, principalmente no horário do rush. Com muito apelo midiático, a prefeitura de Manaus colocou a fiscalização na rua. Segundo matérias publicadas na imprensa local, num só dia, 10 de abril do ano passado, foram autuados 79 motoristas de caminhões e carretas. Mas, igualzinho a outras administrações, parou por aí. Ficou na cena de efeito, pose pra foto. A fiscalização desapareceu e os caminhões, carretas e até tratores passaram a circular normalmente, em qualquer horário, em qualquer lugar.

Em Manaus, entraram e saíram prefeitos, ano após ano, e sempre se ouviu o mesmo discurso repetitivo, principalmente, e preferencialmente, diante da imprensa para gerar mídia positiva, dando a certeza de que a Prefeitura de Manaus iria restringir a circulação de veículos pesados, como por exemplo, caminhões e carretas, no horário de 7 às 20 hs, ou seja eles teriam que trafegar pela manhã, bem cedo, antes das 7h, quando o tráfego de veículos fica mais intenso, ou então só poderiam circular, fazendo o serviço de carga e descarga após às 20 horas, quando o trânsito fica com maior fluidez.

Mas, sempre entram em cena, os “amigos do rei”, empresários e grandes comerciantes que têm estreitas relações com o poder e, por isso, teimam em não se adequarem as normas, fazendo tudo do seu jeito, segundo as suas conveniências, porque acreditam que seus interesses estão acima do interesse coletivo – e a gente nem pode dizer que não é verdade porque as administrações municipais fazem vista grossa pra tudo de errado que eles praticam. Na sexta-feira passada (28) uma colisão entre uma caçamba e um micro-ônibus provocou a morte de 15 pessoas e virou manchete de jornais, ocupando horas de espaço televisivo, e provocando uma comoção geral dos políticos, com direito a nota de pesar, luto de três dias, um minuto de silêncio nos parlamentos, presença nos velórios, envio centenas de coroas de flores, mas nenhum deles tratou de explicar o que estava fazendo uma caçamba, às 19hs40m, em pleno horário do rush, na avenida Djalma Batista. E por que, nem mesmo as empresas prestadoras de serviço da Prefeitura – o veículo era de empresa terceirizada pela Seminf – respeitam as normas de segurança no trânsito.

E agora a prefeitura diz que, a partir de segunda-feira (07), o tráfego de veículos pesados passará a ter restrições em várias vias da cidade, com horário determinado através de uma portaria publicada pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) – lá vem mais um documento que não passará de um mero pedaço de papel se não for posto em prática. E, bem que o prefeito poderia fazer virar atitude todo o sentimento de tristeza que apresentou publicamente, obrigando empresários a respeitarem a vida dos cidadãos dessa cidade, nem que seja na base da rigorosa punição, infelizmente! (Any Margareth)