“A barbárie não pode imperar em Coari”, diz Érika Kokay em sua chegada ao município


IMG-20140220-WA0001Por volta das 11 horas , na manhã desta quinta-feira, chegaram a Coari em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), sob esquema de segurança da Polícia Federal , as deputadas federais Érika Kokay e Liliam Sá, respectivamente presidente e relatora da CPI da Câmara Federal que investiga denúncias de exploração sexual de crianças e adolescentes em todo o País. Na comitiva de Brasília também estão Marcelo Nascimento e Joacy Pinheiro, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, e as conselheiras Miriam Santos e Kezia Araújo, do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. De Manaus, integrando o grupo que foi a Coari está o coordenador do Centro de Apoio Operacional de Inteligência, Investigação e Combate ao Crime Organizado (Caocrimo) do Ministério Público do Estado, promotor Fábio Monteiro, os deputados estaduais Luiz Castro (PPS) e José Ricardo Wendling (PT), e diversos profissionais da imprensa local.

IMG-20140220-WA0003“A CPI esta em Coari para mostrar que a barbárie não pode imperar nesse município”, declarou a deputada Érika Kokay em sua chegada, acrescentando: “Adail não é digno de ser prefeito de Coari. Como pode um cidadão desses, mesmo preso, estar tocando o terror no município?”, questionou. Kokay foi recebida no aeroporto pelo promotor do Ministério Público em Coari, Felipe da Cunha Fish. Logo após a chegada ao município, a comitiva foi à residência do membro do Conselho de Cidadãos de Coari, Raione Queiróz, onde teria ocorrido um atentado à bala. Raione Queiróz é um dos autores do pedido de abertura de comissão processante, feito há cerca de 15 dias à Câmara Municipal de Coari, para cassar o prefeito Adail Pinheiro. A comissão processante foi aprovada no Legislativo nesta terça-feira (18). (Any Margareth)

IMG-20140220-WA0005

Deputada federal Érika Kokay e o deputado estadual Luiz Castro

IMG-20140220-WA0008

Comitiva visita a residência do membro do Conselho de Cidadãos de Coari, Raione Queiróz, onde teria ocorrido um atentado à bala