'Cadeia é pouco', diz mulher que teve rosto desfigurado por ex-marido


fabiane rosto

“Acho que cadeia é pouco. Estou destruída, nunca serei a mesma pessoa. Meu rosto nunca vai ficar do mesmo jeito.” O desabafo é da dona de casa Fabiene Gonzaga Martins, 25 anos, que ficou com o rosto desfigurado após ser espancada pelo ex-marido em Natal. O suspeito do crime, Leandro José de Lima, de 23 anos, está foragido. A mulher terá que fazer uma cirurgia para reconstruir dois ossos da face. 

Fabiene afirma que foi espancada na madrugada de segunda-feira (21) na casa do ex-marido, na comunidade Passo da Pátria, na Zona Leste. A mulher foi ao local para buscar o filho de 4 anos. “Passamos três anos juntos e já estávamos separados. Mandei meu filho para visitá-lo pelo irmão dele. Mas na hora de buscar o menino ele quis que eu fosse até lá”, diz.

A dona de casa conta que, quando chegou na casa, o ex-marido a tratou bem. “Foi super amoroso no começo. Quando percebeu que não tinha acordo passou a ficar agressivo”, diz Fabiene, que afirma ter sido espancada com o cabo de um rodo, além de ter levado socos no rosto. “A intenção dele era me deformar. Achava que ia morrer e implorei para ele me levar para o hospital”, afirma.

Depois de espancar Fabiene, o suspeito levou a mulher para o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal, e fugiu em seguida. O filho de 4 anos ficou na casa do pai, porém foi entregue à mãe nesta semana. “Ele está ameaçando minha família. Estou com medo. Preciso que ele seja preso o mais rápido possível”, diz a dona de casa, que passará por um procedimento cirúrgico na próxima terça-feira (29). Ela tem vários pontos na cabeça, hematomas por todo o rosto e sangue coagulado nos glóbulos oculares.

Suspeito identificado
A Polícia Civil do Rio Grande do Norte divulgou nesta sexta-feira (25) a foto de Lima. Segundo a delegada Karen Cristina Lopes, titular da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher, há um mandado de prisão em aberto contra Lima. A delegada acrescenta que o suspeito continua fazendo ameaças à família da ex-companheira.

Em depoimento à polícia, Fabiene relatou que havia se separado do marido fazia pouco mais de uma semana justamente por não aguentar mais apanhar dele. A mulher também disse ter sido estuprada. No Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep), Fabiene fez o exame de corpo delito e também foi submetida a exame de conjunção carnal para poder comprovar o abuso sexual.

A delegada Karen Cristina reforça que a Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher está recebendo informações sobre o caso no telefone 3232-2526. “O mandado de prisão está na internet e qualquer policial pode fazer o cumprimento”, explica.