Coisas do Parlamento que não vão parar no horário nobre da TV


josue-pensamento

Nos últimos dias, saltou aos olhos de quem estava em frente à televisão a propaganda da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) nos horários mais caros da mídia televisiva, os chamados horários nobres. E o pessoal do Radar que tem uma baita imaginação ficou imaginando como seria pra lá de interessante se certas coisas fossem, como por encanto, parar no horário nobre:

1)      Os motivos para que o deputado Ricardo Nicolau, mesmo sendo réu em ação acatada pelo tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), após ter sido denunciado pelo Ministério Público do Estado (MPE) por desvio de recurso público e improbidade administrativa, não deixar o cargo de Corregedor da ALE.

2)      As risadas de Ricardo Nicolau enquanto contava para determinados colegas de Parlamento que tinha acabado de entregar o pedido de cassação do deputado Luiz Castro.

3)      O fato de não existir no site da Assembleia Legislativa o teor dos projetos que são votados na Casa.

4)      O fato do texto dos projetos que estão em pauta para votação se resumirem a parcas linhas do tipo “em discussão e votação o projeto número tal, oriundo da Mensagem do Executivo número tal “, e ninguém sabe do que se trata, e jornalista fica mais perdido do que cego em tiroteio e só fica sabendo detalhes do que se trata quando já está aprovado pela ALE, sancionado pelo Governador e publicado no Diário Oficial.

5)      As frases nada amistosas e politicamente incorretas do líder do Governo na ALE, deputado Sinésio Campos, para o líder do seu partido, o PT, o deputado José Ricardo Wendling, do tipo: “Tem gente que perde tempo de ficar de boca calada”. E o motivo para que o líder petista no Parlamento estadual (José Ricardo) continue impassível como um monge tibetano diante dos ataques do liderado (Sinésio).

6)      E a cara de um baita cansaço, com olhos inchados, ar pensativo e olhar distante do presidente da Casa, deputado Josué Neto.