Contas de Adail que resultaram em bloqueio de bens pela Justiça Federal vão a julgamento nesta quinta-feira (06) no TCE


As contas da Prefeitura de Coari de 2004, ou seja, de dez anos atrás, que geraram a indisponibilidade dos bens do prefeito Adail Pinheiro estão na pauta de julgamento do Tribunal de Contas do Estado desta quinta-feira (06). O bloqueio dos bens do prefeito de Coari foi determinado pela juíza federal Jaiza Fraxe, da 1ª Vara do Amazonas, em abril de 2013, após o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) ingressar com uma ação civil pública por improbidade administrativa. Segundo o FNDE, o prefeito deixou de prestar contas de recursos federais estimados, em valores do ano passado, em R$ 136,4 mil. Inspeção especial realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) embasou a ação impetrada pelo FNDE, apontando irregularidades na execução de convênios firmados em 2004 para implementação do Programa de Apoio aos Sistemas de Ensino para Atendimento à Educação de Jovens e Adultos (PEJA).

O TCU registrou que o valor declarado pela Prefeitura de Coari de saldo do convênio não condizia com o que estava depositado, e parte da verba tinha sido utilizada para pagamentos que nada tinham a ver com o programa do FNDE. Em agosto do ano passado, a assessoria jurídica de Adail – poderosa e cara – conseguiu através de recurso que o juiz federal Alexandre Sampaio liberasse um saque de apenas R$ 27,1 mil das contas bloqueadas do prefeito Adail Pinheiro, o que pelas informações do Radar não dar nem pra pagar os honorários milionários dos advogados de Adail Pinheiro. (Any Margareth)