Corregedoria do MPE intervém em Coari designando promotor exclusivo para apurar denúncias contra Adail


MP-AMFontes do Radar informaram na tarde desta quinta-feira (10) fatos que teriam ocorrido esta semana na Promotoria de Justiça do Ministério Público, em Coari. O promotor de Justiça, Felipe da Cunha Fish, estava de férias, até a semana passada, e ao retornar à promotoria tomou conhecimento que membros da Corregedoria do MPE estiveram em Coari, fazendo levantamento de toda a documentação referente às denúncias que já estariam sendo apuradas contra o prefeito do município, Adail Pinheiro, inclusive as referentes à Operação Vorax, investigação feita pela Polícia Federal em 2008 sobre fraudes em licitação, desvio de recursos públicos, monitoramento ilegal de computadores dos servidores públicos, escutas telefônicas clandestinas e existência de milícia a serviço do Poder Público.

A corregedoria deixou determinação, através de ofício, que o promotor público Felipe da Cunha Fish não recebesse mais qualquer denúncia referente a irregularidades na administração de Adail Pinheiro porque foi designado um promotor exclusivo para tratar desses casos, Daniel Amazonas, promotor de Justiça que atua no município de Tabatinga. O Radar tomou conhecimento ainda de que estão marcados depoimentos, nesta sexta-feira (11), relativos à Operação Vorax, e que já seriam de competência do promotor Daniel Amazonas. “Inclusive existe a preocupação que ele não chegue a tempo de tomar os depoimentos já que é promotor em Tabatinga”, disse a fonte, acrescentando que as informações são de que as oitivas podem ser suspensas caso haja a ausência do promotor.

O Radar conseguiu captar ainda que uma das oitivas seria de um dos hackers que foram contratados, na administração de Adail Pinheiro no ano de 2008,  para instalar dispositivos nos computadores de secretários e servidores públicos, onde as coversas através de e-mail eram monitoradas e levadas ao conhecimento do prefeito. (Any Margareth)