Detentos que teriam ordenado matança em Manaus são levados para presídios federais


Foto G1

Suspeitos de terem comandado e participado das ações que mataram 60 detentos em presídios do Amazonas no primeiro dia do ano, 17 presos do Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), em Manaus, serão transferidos para penitenciárias federais nesta quarta-feira (11), informou o secretário de Administração Penitenciário do Estado, Pedro Florêncio (ver lista no final da matéria).

“A força-tarefa da Polícia Civil, que está investigando os homicídios no Compaj e na UPP [Unidade Prisional do Puraquequara], chegou aos nomes dos suspeitos de terem comandado e participado dos homicídios”, disse Florêncio.

A operação começou por volta das 2h (4h em Brasília) e tem apoio da PM (Polícia Militar) e da Força Nacional, cujos agentes chegaram na terça-feira (10) à capital do Amazonas.

Segundo Florêncio, os presos serão levados para a Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, e de Campo Grande (MS). A informação, porém, ainda não é confirmada pelo Depen (Departamento Penitenciário Nacional), que disse que só irá se pronunciar assim que todo o processo de transferência estiver finalizado.

Foi no Compaj onde ocorreu o maior massacre de presos este ano, quando 56 presos foram assassinados. Após a matança, 284 presos foram transferidos, em 3 de janeiro, para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa –que estava desativada até então–, onde ocorreram novas mortes cinco dias depois. Quatro presos foram assassinados: três decapitados e um asfixiado.

Juntos com os mortos do Compaj e da UPP, até agora, foram assassinados 64 detentos durante a crise no sistema penitenciário do Estado.

Lista de detentos transferidos:

  1. Adailton Farias da Silva (Compaj) – Artigo 121: Homicídio
  2. André Said de Araújo (Compaj)  – Artigos 33, 35 e 157: Tráfico de drogas, associação para o tráfico e roubo
  3. Cláudio Dayan Felizardo Belfort (Compaj) – Artigos 33, 157 e 16: Tráfico de drogas, roubo, e posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito
  4. Demetrio Antônio Matias (Compaj) – Artigo 121: Homicídio
  5. Eduardo Queiroz de Araújo (UPP) – Artigos 33 e 35: Tráfico de drogas e associação para o tráfico
  6. Fábio Palmas de Souza (Compaj) – Artigos 121 e 33: Homicídio e Tráfico de drogas
  7. Florêncio Nascimento Barros (Compaj) – Artigo 157: Roubo
  8. Gileno Oliveira do Carmo (Compaj) – Artigo 33: Tráfico de drogas
  9. Heuliton Cabral dos Santos (UPP) – Artigos 33 e 35: Tráfico de drogas e associação para o tráfico
  10. Janes do Nascimento Cruz (Compaj) – Artigos 33 e 35: Tráfico de drogas e associação para o tráfico
  11. João Ricardo Santos da Costa (Compaj) – Artigo 33: Tráfico de drogas
  12. José Bruno de Souza Pereira (Compaj) –Artigo 157, parágrafo 3º: Latrocínio
  13. Lenon Oliveira do Carmo (UPP) – Artigos 33 e 35: Tráfico de drogas e associação para o tráfico
  14. Márcio Ramalho Diogo (Compaj) – Artigos 157 e 33: Roubo e Tráfico de drogas
  15. Reginaldo Muller Neto (Compaj) – Artigo 33: Tráfico de drogas
  16. Rivelino de Melo Muller (Compaj) – Artigo 33: Tráfico de drogas
  17. Wilson Guimarães Fernandes (Compaj) – Artigo 121: Homicídio

OBS: Os internos Eduardo Queiroz de Araújo, Heuliton Cabral dos Santos e Lenon Oliveira do Carmo, da UPP, e Fábio Palmas de Souza e Wilson Guimarães Fernandes, do Compaj, estavam alocados no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) após as ocorrências de confrontos e homicídios em suas respectivas unidades de origem. 

Com informações do UOL Notícias e Secom-AM