Dia de clássicos por todo o Brasil nas finais dos estaduais


alecsandro_e_edmilsonFlamengo x Vasco

A carga dramática de um jogo decisivo cresce a cada frase, momento e dia que se aproxima o apito inicial. Derrotas, vitórias, provocações fazem parte desse cenário típico, especialmente quando Flamengo e Vasco se enfrentam. Pois chegou a hora. Neste domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, os dois times se encontram para o segundo jogo da decisão do Campeonato Carioca cercados de expectativas e com promessas de consequências diante do resultado que se seguirá. É a possibilidade do 33º título rubro-negro, enquanto os cruz-maltinos correm atrás da 23ª taça.

O Fla entra com a vantagem de empatar o jogo por ter tido melhor campanha na Taça Guanabara e o primeiro encontro, há uma semana, ter ficado no 1 a 1. Desta vez, o time coloca em jogo a rotina de vencer o adversário em decisões, principalmente no estadual. A última vez em que foi vice-campeão perdendo para o Vasco no jogo que decidiu o estadual foi em 1988, com um gol de Cocada. De lá para cá, os troféus de 1996, 1999, 2000, 2001 e 2004 foram para a Gávea.

Para aumentar a carga de drama do lado do Rubro-Negro, o time carrega para o jogo a derrota por 3 a 2 para o León, no Maracanã, que acarretou na eliminação da fase de grupos da Taça Libertadores. Perder para o Vasco e acabar com um estigma do rival pode ter consequências graves. A principal delas seria a queda do técnico Jayme de Almeida, bancado pelo vice-presidente de futebol Wallim Vasconcelos depois de perder para o clube mexicano.

Para o Cruz-Maltino, este Campeonato Carioca parece mais do que especial. Trata-se da chance de encerrar uma história que tira o sono seus torcedores e aliviar a dor pelo rebaixamento no Brasileirão de 2013. Uma vitória simples significa a conquista de um título que não vem há 11 temporadas. A campanha na competição dá sinais de que isso é possível e o desempenho no último clássico, quando saiu na frente e ficou com um jogador a menos no segundo tempo, aumenta o otimismo internamente, embora haja a necessidade de vencer.

O foco do Vasco foi total na decisão. Nos dois jogos, seus principais jogadores puderam pensar apenas no confronto com o Flamengo, que se dividiu entre Carioca e Libertadores. Um time completo de reservas defendeu o clube contra o Resende, em Manaus, pela Copa do Brasil para descansar o time. A esperada recompensa está prestes a chegar e pode transformar a Série B do Campeonato Brasileiro em algo muito mais fácil de conduzir no restante da temporada.

diegotardelli_dede_ae_pedrovilelaCruzeiro x Atlético-MG

O domingo é de decisão em Minas Gerais. A 100ª edição do Campeonato Mineiro vai conhecer seu campeão. O confronto é entre os velhos conhecidos Cruzeiro e Atlético-MG. O Galo luta pelo tricampeonato, enquanto a Raposa quer retomar a hegemonia no estado. Os dois times foram os primeiros colocados na primeira fase e o Cruzeiro, que terminou como líder, joga a final por um empate, após o 0 a 0 da primeira partida, no Independência, semana passada.

O planejamento do Cruzeiro para a temporada deu certo até este momento, já que o time chega à final do Campeonato Mineiro sem desfalques. Ninguém no elenco está no departamento médico ou suspenso. Com isto, Marcelo Oliveira terá força máxima na decisão. Ceará, poupado diante do Real Garcilaso, no jogo da Libertadores do meio de semana, volta ao time. Mayke sai. O quarteto ofensivo será novamente formado por Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart, Dagoberto e Júlio Baptista.

Apesar de ter a vantagem de jogar pelo empate, o treinador do Cruzeiro promete um time com postura ofensiva, já que é muito importante para o clube retomar o título estadual, que não conquista desde 2011.

Diferentemente das últimas quatro finais do Campeonato Mineiro, quando chegou ao segundo jogo sem a obrigação de vencer, o Atlético-MG entra pressionado no Mineirão. Afinal, só uma vitória dá o título ao clube alvinegro, que seria o terceiro seguido e aumentaria a hegemonia do clube em campeonatos estaduais.

O time confia no retorno de Ronaldinho Gaúcho, fora do primeiro jogo da final e da partida contra o Zamora-VEN. O jogador está recuperado de um pisão no pé direito. O goleiro Victor, fora do jogo da Libertadores, também retorna. Entretanto, o lateral-direito Marcos Rocha está fora por causa de um estiramento no músculo posterior da coxa direita. Dátolo também não se recuperou e está fora também.

grenalInternacional x Grêmio

Será um típico domingo de parar o Rio Grande do Sul. Nada mais pode ter tamanha força no futebol gaúcho. Um Gre-Nal, o maior jogo do estado, decidindo o título do Gauchão. O jogão já tem lugar marcado, depois de muita polêmica. O Beira-Rio não foi liberado pelas autoridades e os dois times decidirão o campeonato estadual pela primeira vez longe de Porto Alegre. O Estádio Centenário, em Caxias, assistirá a partir das 16h a um tetracampeonato do Inter ou a uma reversão do Grêmio.

O time de Abel Braga está em vantagem. Venceu o primeiro jogo em plena Arena do Grêmio, por 2 a 1. Pode empatar e até perder por 1 a 0 para ficar com o quarto título em sequência. Já o Tricolor tem uma dura missão pela frente. Terá de vencer por 2 a 0 para ficar com a taça. Se devolver o 2 a 1, a decisão irá para os pênaltis. Caso vença marcando três gols ou mais, o time de Enderson Moreira também interrompe a série de títulos estaduais do maior rival.

Ainda há dúvidas nas equipes, como em todo bom Gre-Nal. Abel Braga, no entanto, havia indicado o fim do mistério da sua última entrevista coletiva, na sexta-feira. Disse aos jornalistas que não traria surpresas a campo. Porém, no treino de sábado, o último antes do clássico, deixou Juan fora do trabalho e testou Ernando ao lado de Paulão na zaga. O resto do time será o mesmo que bateu o Peñarol no último domingo, na festa de reinauguração do Beira-Rio.

Já Enderson Moreira ainda não definiu o time. Sem Luan, com uma fratura na mão, ele tem optado por um time com três volantes, dois meias e só Barcos como atacante de ofício. Porém, Jean Deretti tem conquistado espaço nos treinos e no decorrer dos jogos e pode aparecer como uma surpresa no clássico no lugar de Edinho.

Certeza mesmo é que será muito difícil apontar um favorito, mesmo com a vantagem do Inter. Cheio de tensão, o clássico perde um pouco de charme ao não ser disputado no Beira-Rio, mas certamente não diminuirá a ansiedade antes do jogo e a euforia do futuro campeão.

Fonte: GE