Há meses emperradas num pedido de vista, contas de Bi Garcia de 2013 saem de pauta de novo


As contas do ano de 2013 do prefeito de Parintins, Bi Garcia (PSDB) estavam, mais uma vez, na pauta de julgamento de ontem, terça-feira (13), do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) e, de repente, não mais que de repente, lá saíram de pauta de novo.

Desta vez, o motivo para isso ter acontecido foi a junção de dois fatos. O primeiro, é que o autor de um pedido de vista feito há meses, o conselheiro Mario de Mello estava ausente sob justificativa de que está de férias e, nesses casos, o processo não pode ser julgado. Coincidentemente, o julgamento das contas de Bi Garcia está parado desde o início do ano por conta desse pedido de vista e o conselheiro Mario de Mello só devolveu agora, meses depois – esse é o famoso pedido de vista a perder de vista, né mesmo gente?

O outro fato que levou, mais uma vez, ao “sumiço” das contas do prefeito de Parintins da pauta de julgamento do TCE é que ocorreu um novo pedido de vista, desta vez do Ministério Público de Contas, procurador Carlos Alberto de Almeida, – pelo jeito todo mundo que dar uma olhada nas contas do Bi Garcia!

E agora, sabe-se lá quando serão julgadas as contas de Bi Garcia do ano de 2013. E, enquanto isso, o Radar fica aqui a esperar pra saber se é legal – moral a gente sabe que não é! – o prefeito de Parintins deixar a empresa do irmão, Valdo Garcia, mandar e desmandar em tudo que se refere ao Festival Folclórico de Parintins, desde a venda nacional de ingressos até a logística do festival, com um contrato feito sem licitação que, absurdamente, tem duração de 2017 a 2021, quando Bi Garcia já nem estará mais no poder.

E como boa cabocla que sou, fico aqui matutando onde foram parar princípios constitucionais basilares da administração pública como impessoalidade e moralidade. Lá em Parintins é que não foi, né meu povo? (Any Margareth)