Mais dois cargos para a estrutura da Prefeitura de Manaus


Há poucos dias foram criados 10 cargos de Analista Municipal na Área Ambiental e Especialidade Fiscalização. Sou sincera, não me peçam pra explicar quais as funções exatas dos ocupantes desses cargos porque não ficou bem explicado no projeto de Lei enviado pela Prefeitura de Manaus, e aprovado pela Câmara Municipal de Manaus. Agora chegou mais um projeto criando cargos que, assim como o projeto anterior, também tramita em regime de urgência – porque a Prefeitura sempre tem tanta pressa a gente também não sabe dizer. Trata-se do Projeto de Lei 87/2014 do Executivo municipal, que cria dois cargos de procurador, de provimento efetivo, no quadro de pessoal do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb) – será que está faltando procurador na Procuradoria Geral do Município?

Apesar de serem apenas dois cargos, um número pequeno convenhamos, mas o salário de pequeno não tem nadica de nada, R$ 14.949,90. As vagas criadas, diz a Prefeitura, que serão preenchidas mediante chamamento de candidatos aprovados em concurso público já realizado. É esperar pra ver!

Pedimos licença

E os nossos leitores que nos perdoem pela palavra vulgar que vamos utilizar, mas neste determinado caso, só nos vem à mente essa expressão que é a mais adequada para o fato em questão. Um cara – não dá pra chamar de homem – deve se sentir mesmo um bosta, uma porcaria de um ser desprezível, menos que titica de galinha, pra ter que partir pra agressão física, ter que apelar pro estupro, pra fazer sexo com uma mulher. E ainda defender isso nas redes sociais demonstrando o quanto não é nada, a não ser um troço desprezível e asqueroso.

Semelhantes

E o pior é tomar conhecimento que, do total dos entrevistados na pesquisa do IPEA sobre estupro, a maioria das pessoas que foram ouvidas (66,5%) eram mulheres que culpam outras mulheres por terem sido estupradas por causa de “falta de comportamento e roupas que mostram demais o corpo”. Quem sabe não daria um bom par uma união entre os bostas estupradores com as recalcadas que devem mesmo é ter inveja de mulheres que são donas da sua vida e do seu corpo. Ah, vai, junta essa cambada de infelizes.

Vergonha

E, mais uma vez, lá vai a gente morrer de vergonha em frente à televisão com novas denúncias de exploração sexual de menores, desta vez envolvendo empresários locais e políticos. E fica ainda mais vexatória porque em todas as denúncias sobre esse tipo de crime no Amazonas vê-se uma cobrança escancarada do Judiciário que passa anos e não pune os culpados. Diante de tanta vergonha dá vontade de gritar que nem Raul Seixas: “pare o mundo que eu quero descer!”