Na abertura dos trabalhos legislativos desse ano, Omar faz discurso em tom de recado para Braga


omar-aziz- 1Em sua chegada a Assembleia Legislativa do Estado (ALE), durante entrevista coletiva  no hall de entrada da Casa, o governador Omar Aziz (PSD) disse que sua mensagem anual, apresentada na abertura dos trabalhos legislativos, não tinha nenhum ingrediente político. Mas, para quem sabe ler nas entrelinhas, o discurso feito pelo governador foi repleto de afirmações em tom de recado ao ex-governador, e já declarado pré-candidato ao Governo nas eleições desse ano, senador Eduardo Braga (PMDB).

Omar, que sempre se recusou em falar de obras inacabadas deixadas pelo ex-governador Braga e a falta de recursos em sua administração decorrentes disso, dessa vez deixou claro a situação: “Somente na ponte (do Rio Negro) nós tivemos que desembolsar, em 2011, para poder concluí-la, R$ 600 milhões de recursos do Estado, do povo do Amazonas. Isso descapitaliza qualquer tipo de projeção para investimento”, disse o governador.

Num discurso parecido com o de Braga que, em suas entrevistas falando da pré-candidatura, tem destacado as obras do período em que esteve no Governo , como o Prosamin, casas populares e escolas de tempo integral, Omar também assumiu a postura do “fui eu que fiz”, listando obras a serem inauguradas como a ampliação do Hospital Francisca Mendes e a clínica de reabilitação de dependentes químicos. Segundo ele, o Hospital da Zona Norte e o Hospital do Sangue também estarão concluídos até o final do ano, assim como sete hospitais no interior do Estado. “Até que enfim vai sair o hospital de Envira. Depois de muitos anos vamos conseguir entregá-lo”, disse Omar. E, em mais uma mensagem subliminar a Braga, disse que seu Governo “foi o que mais construiu casa e apartamentos populares na história do Amazonas”.

Mas, se falou de obras, Omar também decidiu fazer um contraponto visível e radical com o discurso de Braga: “Mas, a maior obra desse Governo foi melhorar a vida das pessoas”. Nesse ponto do discurso, o governador falou de programas como o “Viver Melhor” que “traz melhorias nas residências de pessoas com deficiências”, e o Ronda no Bairro, onde “ a estrutura e o efetivo de policiais  foram dobrados, com investimentos que chegarão a 10% do orçamento do Estado”. Também mandou recado quando falou sobre o aumento de unidades da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e da geração de empregos. “Criamos mais oportunidades que foram negadas durantes anos e anos”, comentou.

Para Melo, não faltaram elogios, antes mesmo do início da leitura da mensagem: “Companheiro, nesses três anos, de alegrias e tristezas. Poucas tristezas tive, Graças a Deus, muitas alegrias tivemos. Ele (Melo) me ajudou a construir algo que muito poucos acreditaram ser possível em tão pouco tempo”. E, no final do discurso, Melo também foi citado em mais uma mensagem subliminar do governador: “Goste ou não alguns, Melo, o nosso governo foi o mais bem avaliado do país”.

O governador agradeceu aos servidores e secretários de sua administração de uma forma que deixou os jornalistas mais atentos, se entreolhando meio que em dúvida sobre o que tinham ouvido: “Agradeço a todos os companheiros que me ajudaram nesses três anos e que me ajudem até o final desse ano”. E a pergunta que ficou no ar foi: “Mas, o governador não tem que se desincompatibilizar do cargo até abril para poder ser candidato ao senado?”. (Any Margareth)

Foto: Zezinho Rodrigues