Onda de frio avança pelo Sudeste, Centro-Oeste e parte da região Norte


Uma forte massa de ar polar vinda da Argentina chegou ao Sul do país nesta segunda-feira (17) e deve causar uma onda de frio nos próximos dias também nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e parte da região Norte. O Rio Grande do Sul resgistrou queda de neve granular em quatro cidades e há previsão de neve também na serra catarinense.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), os estados do Sul podem ter temperaturas negativas. Em São Joaquim (SC), onde os termômetros marcaram 1ºC nesta segunda-feira, há previsão de temperaturas entre -5°C e 4°C. Turistas lotam a cidade à espera da neve. Em Urupema (SC), os termômetros podem marcar -3°C.

Esta massa de ar polar poderá ser a mais forte a agir sobre a América do Sul neste ano.

Além das possibilidades de neve e geada nas áreas de serra do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, os ventos podem ficar mais fortes, e o mar, agitado. As cidades do RS onde caiu neve granulada foram Canela, Gramado e Caxias do Sul, na serra gaúcha, e Palmeira das Missões.

Ainda conforme as previsões, esse ar frio vai se deslocar pelo país durante os próximos dias, derrubando as temperaturas na região Sudeste e atingindo também os estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Mato Grosso do Sul e grande parte de Mato Grosso.

De acordo com a Climatempo, o frio intenso começou no domingo (16) sobre o centro-norte e leste da Argentina e no Uruguai, avançando depois sobre o Paraguai e a Bolívia até chegar ao Brasil. Segundo o Serviço Nacional Meteorológico da Argentina, Bariloche registrou recorde de temperatura negativa, com os termômetros chegando a -25,4ºC. O número anterior era de 30 de junho de 1963.

Até agora, a menor temperatura registrada no Brasil em 2017 foi de -5,7ºC em Bom Jardim da Serra, em Santa Catarina, no dia 26 de junho.

Veja como fica o tempo na sua região:

  • Centro-Oeste

Em Mato Grosso do Sul, houve queda nas temperaturas. A mínima do estado nesta manhã foi de 5°C, em Ponta Porã. O céu amanheceu nublado em quase todas as cidades e, em alguns locais, teve garoa. As temperaturas continuam caindo e podem chegar perto de 0ºC por causa da massa de ar polar, segundo o meteorologista Natálio Abrahão Filho.

Já em Mato Grosso, a frente fria derrubou a temperatura em Cuiabá, e a mínima pode chegar aos 9º C, segundo o Inpe. Em Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, as temperaturas devem ser ainda mais baixas: mínima de 1ºC e máxima de 18ºC nesta terça.

No Distrito Federal, o que tem mexido com a percepção de frio do brasilienses são os ventos, que estão mais fortes e intensos neste ano. “Em termos numéricos, a temperatura não está mais baixa que em outros anos. O que se mostra é que as massas [de ar frio] estão vindo mais fortes da região de origem”, segundo o meteorologista Manoel Rangel.

  • Nordeste

Alagoas tem registrado baixas temperaturas no final da quadra chuvosa, como é conhecido o período entre abril e julho no estado, mas esta semana já é a mais fria até então, segundo a Sala de Alerta da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado (Semarh)

Nesta madrugada, o município de Arapiraca, no Agreste do estado, registrou 15,1ºC, a menor temperatura dos últimos anos, que normalmente tem mínimas entre 18ºC e 20ºC neste período. A previsão é de madrugadas com frio intenso durante a semana.

Já no Rio Grande do Norte, os termômetros estão marcando 20ºC em julho, o suficiente para os natalenses tirarem os agasalhos do armário.

Em Pernambuco, o frio mudou os hábitos dos moradores do Sertão do Araripe. Acostumados com temperaturas normalmente perto dos 40º C, eles estão tendo que conviver com termômetros registrando, com frequência, até 17ºC.

Fonte: G1