PMs mobilizam categoria para aquartelamento no 01 de maio em mensagens que dizem: “a cidade vai virar um caos completo”


Greve-polícia

O Radar recebeu, através de uma fonte na polícia, desde a noite desta terça-feira (22), mensagens onde policiais militares mobilizam a categoria para paralisação no dia 01 de Maio, Dia do Trabalhador. Eles deixam claro que pretendem ficar aquartelados, sem ir para as ruas, por tempo indeterminado. O texto assusta por ter um conteúdo que mais parece uma convocação para a “guerra”. O Radar transcreve na íntegra a mensagem: “Pessoal, a polícia militar do Amazonas vai realmente parar no dia 01/05. Oriento a todos que planejem alimento para pelo menos 5 dias e evite pagar contas ou sacar dinheiro nesse período, pois a cidade vai virar uma caos completo. E, para que nenhum de vocês sejam vítimas, peço por favor que sigam essas orientações. A cidade ficará na mão das Forças Armadas, mas ainda assim eles não detém o tirocínio policial. Infelizmente, o Governo do Estado só ouvirá classe desse jeito e enquanto isso, a população terá que arcar com esse prejuízo”.

Em uma segunda mensagem está escrito: “Policiais militares do Amazonas, esse momento que vivemos é histórico. Somos vistos por todas as PMs do País como a única polícia que nunca parou e, por isso, somos escravizados e humilhados diariamente. Chegou a hora de mudarmos tudo isso, hora de virarmos o jogo. A hora do Governo ouvir que a tropa realmente precisa. Esse movimento nas céu da categoria e no dia 01 de maio não seremos desamparados por aqueles que nos representam. Converse com seus companheiros. Não vá contra a sua classe. Una-se a esta luta. Entre em greve e mudaremos a PM do Amazonas! Não tema represálias. Não tema os oficiais. Você não será um dos líderes. Você só precisa fazer sua parte. Essa luta é dos praças e muitos deles irão tentar impedir e desmotivar você e sua Cicom. Dante 01, às 8hs, não haverá uma viatura nas ruas de Manaus e no interior. Essa é nossa hora. Não desperdice. Seu futuro e de sua família está em jogo”.

Junto com as mensagens de convocação para a paralisação vem uma “Pauta da Greve” onde os policiais descrevem reivindicações da categoria, como por exemplo, Incorporação da GTE e pagamento por subsídio; bonificação de 20% para o policial administrativo, 30% para o de área, 40% para os especializados (Rocam, Força, Cavalaria, Canil, Coe e etc) e 50% policial do interior; regulamentação da aposentadoria aos 25 anos com proventos do posto imediatamente superior; escala 2×2 , de 8horas para os turnos e 6 horas para os serviços a pé com o fim dos serviços extraordinários, com 1 horas de descanso para o terceiro turno; gratificação por curso (técnico, graduação, pós, mestrado e doutorado); fim dos ranchos e pagamento de vale-alimentação; extensão do auxílio-fardamento para cabos e soldados; pagamento de plano de saúde; possibilidade de crescimento até o posto de coronel aos oficiais QOA; adicional noturno para os praças do terceiro turno; regulamentação do 14° e 15° salários; criação de concurso interno anual para oficial com um percentual mínimo de vagas; anistia aos policiais grevistas (absoluta).

Greve-polícia 2