Professores vestem preto em sinal de luto pela educação e vão às ruas nesta terça-feira (18) por avanços


paralização-seduc 1

O movimento dos trabalhadores em educação com atos e paralisações em todo o País começou nesta segunda-feira (17). Em Manaus, professores da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Secretaria de Estado de Educação (Seduc) foram à sala de aula vestindo preto em sinal de luto pelas atuais condições do ensino e está marcado um ato público, nesta terça-feira (18), com concentração às 8hs na Praça da Polícia e término na Praça do Congresso. O movimento em nível nacional exige o cumprimento da lei do piso, carreira e jornada, investimento dos royalties do petróleo na valorização da categoria, votação imediata do Plano Nacional de Educação, destinação de 10% do PIB para a educação pública, entre outras reivindicações.

A professora Izaura Santos da Silva, do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação (Movtte) explicou que, entre outros pontos de luta dos trabalhadores da educação no Amazonas, está o cumprimento da Hora do Trabalho Pedagógico (HTP) que tem sido descumprida, segundo ela, tanto pelo Estado, quanto pelo município, o reajuste do auxílio alimentação que tem o mesmo valor de 2006, e escolhas de gestores de escolas não por indicação política, mas sim por processo seletivo e avaliação de mérito. Ela contou que por todas as escolas que passaram, nesta segunda-feira (17), fazendo a mobilização para o ato público de amanhã a receptividade foi muito boa. “Esperamos que todos, inclusive os estudantes e toda a sociedade, se unam na luta por uma educação de qualidade”, disse Izaura. O Radar traz pra você a pauta de reivindicação dos trabalhadores em educação nacional, assim como da Seduc e Semed:

paralização-seduc 4.jpg

paralização-seduc 3.jpg

paralização-seduc 2.jpg