Setor de Construção Civil tem alta de 353 empregos em julho


O Amazonas encerrou julho com saldo positivo na geração de empregos formais na Construção Civil. A diferença entre o número de desligamentos e a quantidade de admissões resultou em um saldo de 353 empregos no mês. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

O saldo de novas ocupações na Construção Civil do Amazonas representa quase metade do saldo nacional, que foi de 724 empregos. Em junho, o Estado já apresentava retomada do emprego no setor. Naquele mês, a diferença entre o número de contratações e o de demissões foi de 167 empregos.

Na avaliação do presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas (SINDUSCON-AM), engenheiro civil Frank Souza, alguns fatores podem ter contribuído com o crescimento do emprego no setor. “Entre eles, destaco: o pagamento do FGTS inativo, o início de novas obras lançadas neste semestre, o período de verão, que propicia início de obras e o aquecimento gradual da economia”, ressalta.

Ranking geral

No ranking geral, em julho, o Amazonas teve saldo de 1.888 empregos – o que coloca o Estado na quarta posição entre os estados com o melhor resultado em relação à diferença entre o número de desligamentos e de novas contratações em todas as atividades analisadas pelo Caged.

O MTE ainda não informou o número de desligamentos nem a quantidade de admissões no Amazonas no mês de julho. A previsão é que esses dados sejam divulgados na próxima semana.