Tacacá na Bossa celebra “100 anos de Samba” com três dias de programação


tacaca-na-bossa-capa

O ritmo originalmente brasileiro, conhecido nas rodas musicais e apreciado pelos boêmios envolvendo música, dança e poesia completa 100 anos. E para comemorar esse centenário de história cultural desse ritmo contagiante, nada melhor do que apreciar com muita “música de raiz” e samba no pé, no Centro Cultural Largo de São Sebastião, nos dias 30 de novembro, quarta-feira, 1° e 2 de dezembro, quinta e sexta-feira, a partir das 19h, no projeto Tacacá na Bossa, com o apoio do Governo do Estado do Amazonas, via Secretaria de Cultura.

Para as apresentações das três noites, o público pode esperar muita alegria, dança, sintonia e batuque misturado com instrumentos de corda e de percussão, e claro, muitas cações de artistas renomados, eternizadas no cenário musical, sendo interpretadas com grandes vozes locais em celebração ao símbolo cultural do país: o samba!

Programação

No primeiro dia de evento, quarta-feira (30), o cantor Junior Rodrigues (48) receberá as cantoras Lucilene Castro, Fátima Silva, Cinara Nery e Marcia Siqueira, além de outras participações especiais.

Na programação do segundo dia, quinta-feira (1), o grupo musical Pagode dos Amigos interpretará vozes conhecidas do samba como os cantores Zeca Pagodinho, Martinho da Vila e Beth Carvalho, além de apresentar a música de trabalho “Isso é Deus”.

Entre as várias participações especiais da noite, estão o grupo musical Ases do Pagode e a Escola de Samba Reino Unido da Liberdade.

Para intérprete Mariozinho Câmara (35), o público será um diferencial nessa apresentação. “O público manauara aprecia e prestigia bastante os nossos shows e dessa vez não será diferente, ainda mais em celebração ao ritmo que está no gosto dos brasileiros”, afirmou Mariozinho.

O último dia, sexta-feira (2) de comemoração ao centenário do samba, encerra a programação com a participação dos músicos do grupo Fino do Samba, que resgatarão o samba de raiz, comtemplados por artistas renomados como Paulinho da Viola, Cartola e Paulo César Pinheiro, entre outros sambistas.

 

Para o músico David Nogueira (48), o repertório para esse evento resgata a essência do samba de raiz. “Selecionamos músicas que marcaram época e que são interpretadas por grandes sambistas. Por isso, aguardamos um grande público em celebração à musicalidade legitimamente brasileira”, ressaltou David.

As Escolas de Samba Vitória Régia e Grande Família estão entre os convidados da última noite em celebração ao centenário do samba.

História do Samba

O samba surgiu na cidade do Rio de Janeiro, na segunda década do século XX, por influência dos migrantes baianos que faziam, em roda e batendo na palma da mão, rituais religiosos, utilizando o batuque trazido pelos escravos africanos.

Ao longo dos anos adquiriu melodia, ganhou espaço no cenário musical e influenciou na criação de vários estilos musicais, como pagode e o samba-enredo, tornando-se símbolo da identidade nacional brasileira. Dentre as canções popularmente conhecidas, está “Não deixe o samba morrer”, composta por Edson Conceição e Aloísio Silva. No dia 2 de Dezembro comemora-se o Dia Nacional do Samba.

Para mais informações sobre outras ações, projetos e atividades desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Cultura, acesse facebook.com/culturadoamazonas e o Portal da Cultura (www.cultura.am.gov.br).

Serviço: Tacacá na Bossa – “Cem anos de Samba”

Data: 30 de novembro, e 1° e 2 de dezembro.

Local: Largo de São Sebastião – Centro Histórico de Manaus.

Entrada: gratuita.

Horário de início: 19h.

Público-alvo: Livre.