Terminais e paradas de ônibus desertas e mais de 500 mil manauaras sem transporte coletivo


greve de ônibus 2

A greve começou às 8hs. As pessoas foram pegas de surpresa e a grande maioria teve que voltar pra casa, já que foi difícil encontrar um outro tipo de transporte, porque até eles não se organizaram porque não sabiam da greve . Várias pessoas denunciaram nas redes sociais que os motoristas de Executivo estavam se aproveitando da greve para cobrar R$ 12,00 (doze reais) por uma passagem de ônibus. Somente diante da greve é que o superintendente da SMTU, Pedro Carvalho, e o prefeito Artur Neto tornaram público o fato de que o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram)  entrou na Justiça com ação para que 50% da frota circulasse, e o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) teria liberado a paralisação de somente 30% da frota. Como sempre o povo é o último a saber, que nem marido traído, das tramoias que empresários e setor público fazem em suas salas à portas fechadas. Bem que poderiam ter avisado que estava existindo essa negociação no TRT, a decisão que a Justiça tomou e que poderia ser descumprida pelos rodoviários, assim como foi. E aí as pessoas não precisariam ficar horas nas paradas sem saber nem o que estava acontecendo, no maior nervosismo porque teriam que faltar trabalho, ou não iriam para a faculdade, nem pra qualquer outro compromisso. Falta de respeito!

greve de ônibus 1