“A data-base é sagrada”, diz Eduardo, aos servidores da segurança pública

O candidato a governador do Amazonas, Eduardo Braga, e seu vice Marcelo Ramos confirmaram o compromisso com os profissionais da área de segurança com relação ao cumprimento da data-base salarial da categoria.

“Assumindo o governo, com o detalhamento real dos gastos públicos, vamos conversar com os representantes de todas as categorias. Essas reivindicações são totalmente justas. O dia 21 de abril é sagrado. Me recuso a não valorizar os servidores da segurança pública. O pagamento da data-base é sagrado”, declarou Eduardo.

Conforme Eduardo, o que falta no estado é planejamento e gestão. “É preciso energia e pulso firme para colocar o Amazonas no caminho certo. Temos que acabar com essa omissão e falta de responsabilidade com a coisa pública. Vamos implementar nosso Plano de Emergência e tirar o Amazonas da crise”, garantiu o candidato a governador.

“É necessário resgatar o sistema de segurança pública. Essa é a forma de transformar esse cenário. Não existe segurança sem polícia bem equipada, bem remunerada. A população tem que ter respeito pelas polícias. Os servidores querem voltar a trabalhar com dignidade”, disse Eduardo.

De acordo com  Marcelo Ramos, os próximos quinze meses serão os mais importantes da vida do Estado. Para ele, se o Estado continuar do mesmo jeito a crise vai ficar insuportável no Amazonas.

O candidato expôs números preocupantes gerados pela crise instalada. “Na segurança, por exemplo, nos últimos 15 meses o índice médio de criminalidade por homicídio aumentou mais de 35%. No último mês de junho, assassinaram 102 pessoas, mais de 25 pessoas por semana”, alertou.

Ainda destacando os números da crise, Marcelo ressaltou o impacto de decisões equivocadas que só prejudicam a população. “Demitiram 14 mil vigilantes que faziam a segurança em nossas escolas e, hoje, professores e alunos são alvo de arrastões dentro das salas de aula”, denunciou.

Para Marcelo, a eleição suplementar é a chance de se corrigir um erro. “Tenho fé e esperança que viveremos dias melhores. A maior demonstração de amor é cuidar bem. Amar da boca pra fora não serve. Amor verdadeiro se concretiza com atos concretos como o Prosamim, o Jovem Cidadão, os Cetis, a valorização de pessoas”, afirmou Marcelo.

Em conversa com os profissionais da segurança, Marcelo ainda revelou que seu primeiro emprego foi em 1992 como digitador do Corpo de Bombeiros. “Isso marcou a minha vida. Por isso, conheço o trabalho desenvolvido pelo órgão e reconheço”, contou o candidato a vice-governador pela coligação União pelo Amazonas.

Foto: Divulgação

Assessoria de Comunicação

Esta matéria é de total responsabilidade do candidato