A Política do Já Teve

PãoCirco2

É com imenso prazer que recebo o convite para escrever no Radar Amazônico. Falar sobre cultura e entretenimento é bom demais. Manaus merece que seus filhos pensem, repensem, e busquem canais de discussão sobre o tema. Não sei, se na opinião daqueles que, de hoje em diante, vão me acessar no Radar, estarei certo, errado, ilógico, confuso, metódico…Vou me dar o direito de abrir a discussão, até pra quem quiser fazer o contraditório, sem medo de me expor, de ousar. Porque, repito, Manaus merece que demos a “cara a tapa” num ato de amor pela nossa cultura.

Na minha opinião, Manaus vive, atualmente,  um tempo de “Já Teve”. Já teve bons shows, já teve uma cultura sólida, já teve o segundo melhor carnaval do País, já teve…

Não temos casas de show apropriadas. O que temos são salões de festas sociais que são usados para show. Necessitamos criar espaços que suportem shows nacionais, bem como internacionais. Precisamos sair de “guetos” como o Centro de Convenções (Sambódromo).

Necessitamos assistir show de Madonna, Nora Jones, Maria Betânia e outros nomes da nossa música popular brasileira. Os shows dos ditos “Lixos Culturais” – cada um pensa ao seu modo – ganharam muitos espaços no cenário brasileiro. As empresas que trabalham com esses shows têm investido muito no pagode, tecnobrega e Calypsos da vida.

Diversão e cultura para todos. Manaus merece uma nova política cultural para entrar na rota dos grandes shows, também para quem gosta da música que,na minha opinião faz bem ao ouvido e encanta a alma . Parece piegas, mas não queremos mais a política de pão e circo (por favor entender que esta frase é do tempo dos romanos e esse é outro tipo de circo onde havia luta de gladiadores). Vamos ao circo, ao  teatro e nos embriagar de cultura! (Fabricio Nunes – produtor cultural e presidente da Associação Orquídeas GLBT Gays, Lésbiscas, Bissexuais e travestis)