‘A relação que tenho com o professor é da minha alma, espírito, e ninguém tira’, diz Amazonino

Foto: Clóvis Miranda

Primeiro governador do Brasil a conceder o reajuste salarial de 27,2% ao professor, o candidato à reeleição, Amazonino Mendes (PDT), reuniu-se com milhares de docentes e profissionais da educação que lotaram uma casa de show no bairro Tarumã, zona oeste. Na ocasião, ele declarou que “dará a própria saúde” para melhorar ainda mais a educação amazonense e a valorização do professor.

Na noite dessa quarta-feira (26), Amazonino destacou as conquistas ofertadas aos docentes, depois de tirar o Estado da situação pré-falimentar, em menos de onze meses do novo Governo. O governador, ao lado da candidata a vice-governadora, Rebecca Garcia (PP), ressaltou que pagou as datas-bases atrasadas desde 2015 da categoria e ainda concedeu benefícios aos profissionais da educação.

“Só um homem, que concebeu uma universidade (UEA), que levou educação para o interior e deu oportunidade para o pobre vê seu filho doutor, não pode deixar de gostar do professor, da educação. Esse homem pensou no futuro, na integração social. O que tenho com a educação é maior que a minha saúde. Sou capaz de sacrificar a minha vida para melhorar, incrementar a educação. O caminho mais digno, mais eficaz para se ter uma educação, é melhorar o salário, dando condições, qualificação intelectual para o professor”, comentou Amazonino, acompanhado do deputado federal Alfredo Nascimento (PR), candidato ao Senado, e demais candidatos aos cargos de deputados estaduais e federais.

Conforme o governador, em toda a sua trajetória política, sempre brigou pela valorização do docente. Ele relembrou que foi o primeiro chefe do Executivo a criar um piso salarial para o professor. “O professor no Brasil sempre foi espoliado e eu lá atrás fui o primeiro a criar o piso salarial, com o pagamento do 13º, 14º e 15º salários. Sabe por quê? Porque só a educação liberta e é o melhor caminho para uma sociedade civilizada. Eu não estou neste palanque para lhes enganar. Mas estou aqui para pedir que vocês não se enganem”, disse o candidato.

Amazonino fez

Desde que assumiu o governo, Amazonino, em menos de onze meses, concedeu ao professor o maior reajuste salarial da história do magistério no Brasil, com 27,02%. O pagamento da data-base não era cumprido desde 2015. Amazonino já pagou duas parcelas referentes às datas-bases atrasadas, sendo a primeira de 7,41 % e a segunda de 8,12% caiu hoje no contracheque de 33 mil profissionais. A última parcela será paga em janeiro de 2019, totalizando os 27,2% de reajuste. No total, somados o reajuste salarial, as promoções de carreira efetivadas este ano e o auxílio-alimentação, o salário de professores e pedagogos com doutorado, com carga horária de 40h, será de R$ 11.234,56, três vezes mais do que ganhavam no ano passado.

Já o pagamento da parcela do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) será pago pelo novo governo, que solicitou autorização do pagamento junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM).

Amazonino manteve o plano de saúde e aumentou o auxílio-alimentação de R$ 220 para R$ 420 aos profissionais que estão nas escolas. Já os servidores da Seduc voltaram a receber auxílio-alimentação de R$ 220. Outro benefício foi o fim da cobrança, no contracheque dos servidores, de 6% do valor do vale-transporte.

O governador garantiu a 3.516 professores e pedagogos as suas progressões por qualificação, conquistando reajustes de 12% a 55% em seus vencimentos. Um professor com doutorado que tenha 20h vai passar a ganhar R$ 9 mil, com o reenquadramento da categoria que não era realizado há quatro anos.

Foi realizado ainda novo concurso público com 8.175 vagas, sendo 5.758 mil vagas para o interior. Do total de vagas, 7.096 são para professores, sendo 680 para professores indígenas. O governador concedeu pagamento das promoções horizontais e verticais de professores e técnicos servidores da UEA, e aumentou a oferta de cursos de qualificação aos professores da rede pública, por meio de convênio com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Cetis

Na infraestrutura da rede educacional, inaugurou dois Cetis em Uruacará e Itacoatiara, e o Governo irá inaugurar o de Humaitá, e está construindo outros oito no interior (Tabatinga, Lábrea, Nova Olinda do Norte, Careiro Castanho, Benjamin Constant, Tefé, Fonte Boa e Codajás) e vai licitar mais três (Boca do Acre, Eirunepé e São Paulo de Olivença). Tabatinga terá o primeiro Ceti do Estado abastecido com energia solar e com aproveitamento de água pluvial.

Matéria de responsabilidade da assessoria do candidato