“Abertura de inquérito não significa que esteja respondendo por crime”, diz Braga

Em resposta as notícias veiculadas, nesta terça-feira (11), dando conta de que seu nome está na lista de senadores a serem investigados pela Procuradoria Geral da República, o senador Eduardo Braga (PMDB), em nota enviada à imprensa disse não ter “conhecimento do conteúdo das informações que levaram a PGR a pedir abertura de inquérito”, ou seja, não dá pra contestar já que não se sabe sequer as razões da investigação.

Também estão na lista, os senadores Omar Aziz (PSD) e Vanessa Grazziotin (PC do B), além do deputado federal Alfredo Nascimento.  O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a Procuradoria Geral da República (PGR) a investigar 9 ministros, 29 senadores e 42 deputados federais que fazem parte da chamada “lista do Janot”, segundo noticiou o jornal “O Estado de S. Paulo”.

O senador rechaçou ainda informações veiculadas sobre essa lista que levam ao entendimento de que os investigados teriam cometido algum tipo de crime. “Vale destacar que a abertura de inquérito não significa que os investigados respondam por qualquer tipo de crime”, diz Braga através de sua assessoria de imprensa.

E está escrito ainda na nota: “O senador Eduardo Braga, em caso de notificação, prestará todas as informações necessárias”

O Radar faz questão de destacar que está sendo publicado apenas o posicionamento do senador Eduardo Braga, porque os outros políticos amazonenses que estão na “lista de Fachin” não enviaram nota de esclarecimento ao site. (Any Margareth)