Abraham Peixoto e Onilza de Abreu Gerth tomam posse como desembargadores do TJAM nesta quinta-feira (20)

Foto: Divulgação/TJAM

Os novos desembargadores do Tribunal de Justiça do Amazonas, juiz Abraham Peixoto Campos Filho e a juíza Onilza Gerth serão empossados nesta quinta-feira (20/05), às 10h. A solenidade, que será conduzida pelo presidente da Corte, desembargador Domingos Chalub, e ocorrerá por videoconferência em atenção às medidas de prevenção à covid-19, com transmissão pelo canal do TJAM no YouTube.

Os dois magistrados foram escolhidos em eleição realizada na sessão do TJAM no último dia 11 de maio e vão assumir os cargos pelo falecimento do desembargador Aristóteles Thury – ocorrido em fevereiro deste ano – e pela aposentadoria do desembargador Sabino Marques, em março.

Abraham Peixoto Campos Filho nasceu em Manaus, tem 56 anos e graduou-se em Direito pela Universidade Federal do Amazonas. É titular da 16.ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho de Manaus. Foi promovido a desembargador pelo critério de merecimento, tendo sido o mais votado entre os candidatos inscritos.

Ao longo de 28 anos de trajetória na magistratura, atuou como juiz em Jutaí e São Sebastião do Uatumã antes de ser promovido para a capital; foi juiz eleitoral em várias cidades do Estado; exerceu a função de desembargador do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas; foi juiz de Turma Recursal, auxiliar da Presidência, da Vice-Presidência e da Corregedoria do TJAM.

Onilza Abreu Gerth foi promovida a desembargadora pelo critério de antiguidade por ser a juíza com mais tempo em atividade na Justiça Estadual. Ela nasceu em Coari, tem 59 anos, é casada e tem uma filha. Graduada em Direito, possui especialização em Direito Processual Civil pela Universidade Federal do Amazonas, e está finalizando o Doutorado em Ciências Jurídicas e Sociais na Universidade Católica de Santa Fé, da Argentina.

Em junho, ela completará 32 anos de magistratura. Atuou nas Comarcas de Santa Isabel do Rio Negro e São Gabriel da Cachoeira; também como juíza eleitoral. Em 1994 foi promovida por merecimento para a 8.ª Vara Cível da capital; foi juíza auxiliar da Presidência, da Vice-Presidência e da Corregedoria-Geral de Justiça; integrou a Turma Recursal, atou na Ouvidoria do TJAM e na Casa da Cidadania.

(*) Com informações da assessoria