Adjuto Afonso denuncia invasão de grileiros em Boca do Acre e solicita força policial imediata para a região

Boca do Acre capa
O deputado Adjuto Afonso (PP) denunciou na quinta-feira, 18, no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a situação de invasões de fazendas produtivas por grileiros no município de Boca do Acre (a 1.537 km). A informação chegou ao parlamentar através da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea), que alertou para o clima de grande tensão e de conflito iminente naquela região.
“Considero preocupante para nosso Estado e para o município de Boca do Acre. Fica aqui o meu apelo para que a Polícia Militar, a Secretaria de Segurança atenda imediatamente o pleito da Federação da Agricultura, do Sindicato Rural de Boca do Acre, dos fazendeiros de Boca do Acre, deslocando para aquela região forças policiais com condição de coibir esse abuso, que gera desestímulo aos que produzem, gera conflito para aquele povo, que é trabalhador e que tá gerando, sem dúvida nenhuma, muitos empregos naquela região”, ressaltou o parlamentar.
De acordo com informações da Faea a ação dos invasores está ocasionando grande intranquilidade para as famílias rurais, tendo em vista que os mesmos adotam atitudes violentas e agressivas, principalmente com utilização de armamento, fato que, segundo a federação, foi registrado, inclusive, na Delegacia de Polícia Civil de Boca do Acre pelos produtores alvo das invasões.
Outra informação é de que a maioria das pessoas envolvidas nas invasões são de origem do Estado do Acre, especificamente dos municípios de Plácido de Castro, Senador Guiomar e Rio Branco.
“Um abuso desses grileiros que nada contribuem para o desenvolvimento da região, ao contrário, só tumultuam e fazem com que aqueles fazendeiros que lá estão instalados ou qualquer um outro produtor ,saia daquele local e as terras ficam lá como aconteceu em Roraima, na Raposa do Sol”, salientou o deputado Adjuto.
O parlamentar destacou, ainda, o prejuízo que tais invasões deverão causar na economia do município e do Estado, tendo em vista que, atualmente, o município de Boca do Acre abastece com carne a cidade de Manaus, além de outras capitais como Rio Branco (AC) e Porto velho (RO). “O maior rebanho do Estado é em Boca do Acre, em torno de 500 mil cabeças. Lá tem frigorífico que gera mais de 300 empregos. Se as ações do governo federal e estadual não for imediata certamente vai proporcionar muitas invasões”.
Adjuto Afonso declarou que está unindo forças à Faea, à exemplo de outras situações em que se uniu ao presidente da Federação, Muni Lourenço, para tratar de interesses daquela região. “Vamos conversar com o governador, com o secretário de segurança, com o comandante da Polícia Militar para que possa imediatamente direcionar forças policiais para aquele município”.
Foto: Ney Xavier