Adjuto Afonso repudia taxa cobrada pela Prefeitura de Manaus a grupos folclóricos

Adjuto 17
O deputado Adjuto Afonso (PP) relatou nesta quarta-feira, dia 17, no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), que tomou conhecimento no último final de semana, de uma taxa cobrada a grupos folclóricos pela Prefeitura de Manaus para que se emita autorização para os ensaios das coreografias. O parlamentar repudiou a taxa no valor de 195,24 reais cobrada por cada ensaio pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas).
“A Prefeitura deveria oferecer as quadras das suas escolas para os jovens ensaiarem, pois certamente estariam enveredando por outros caminhos se não estivessem participando desses ensaios. Me recuso a acreditar que o prefeito Arthur Neto tenha conhecimento dessa Lei que faz com que os jovens não tenham o direito de participarem desses ensaios, seja folclore ou qualquer outro tipo de dança.
O parlamentar tomou conhecimento da situação através da representante da Associação Recreativa, Cultural e Folclórica “Quadrilha os Maruapiaras”, Margareth Graça Soutelo, que informou, ainda, que a taxa é cobrada também para grupos que ensaiam na rua.
Em entrevista à TV Aleam, o deputado Adjuto Afonso declarou que vai solicitar através de requerimento informações sobre a situação junto à Prefeitura de Manaus, por entender que a população está sendo prejudicada. “Espero que o prefeito reveja isso. Acho um absurdo, uma falta de respeito com a população”, disse o parlamentar.
O deputado parabenizou também a Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Amazonas, pela posse da nova diretoria para a gestão 2016-2018, ocorrida na noite de terça-feira (16). O parlamentar participou do evento representando a Casa Legislativa.