Adolescente executado por motoristas de app era inocente, diz delegado (Ver vídeo)

Foto: Eliana Nascimento

Os motoristas de aplicativo Cleyton Augustinho dos Santos, 29; João Rodrigues Maciel, 33; e Kameron Braga Pereira, 20, foram presos nesta quarta-feira (21), por policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). O trio foi preso por envolvimento no homicídio e na ocultação de cadáver do adolescente Pedro Adley Fernandes, de 17 anos que estava desaparecido desde 21 de junho deste ano.

Durante coletiva  de imprensa realizada na sede da DEHS, o delegado Charlie Araújo informou que o trio havia sequestrado o adolescente na intenção de se vingar de um assalto que o jovem teria feito a um motorista de aplicativo, no entanto, o delegado afirmou que Pedro Adley não tem nenhuma ligação com o crime do qual foi acusado e que o trio teria sequestrado a pessoa errada.

“Desde o início, as investigações apontavam que o jovem havia sido sequestrado por grupo de motoristas de aplicativo. Na madrugada do dia 21 houve um roubo, e o grupo tentou capturar o suposto ladrão e aqui é importante frisar que não existe qualquer ligação que ligue o Pedro Adley ao roubo que foi cometido naquele dia”, disse o delegado Charlie Araújo.

Corpo 

Ainda segundo  o delegado Charles Araújo, mesmo sabendo que o adolescente não era o autor do roubo, ainda sim, o trio deu continuidade no que havia planejado e executaram o jovem, em seguida decidiram ocultar o cadáver.

Após quatro meses o corpo do adolescente foi encontrado no KM 28 da BR 174, que foi encontrado pela cadela farejadora Fiona da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CiPCães). Segundo informações da polícia civil , o jovem não foi assassinado no local, mas o trio teria decidido jogar na estrada com a intenção de ocultar o cadáver.

O delegado disse ainda que o corpo estava em avançado estágio de decomposição e somente um exame de necropsia feito pelo Instituto Médico Legal (IML) irá confirmar se de fato era do adolescente, assim como também, apontar as causas da morte.

Pedro Adley não tinha passagens pela polícia. O delegado ressaltou que a Polícia Civil e a Polícia Militar estão atuando todos os dias para garantir os cumprimentos da Lei, e que nestes casos o correto é procurar a polícia e não fazer justiça com as próprias mãos.

Procedimentos 

As ordens judiciais foram expedidas no dia 16 de outubro deste ano, pelo juiz Rafael da Rocha Lima, da Central de Inquéritos.

Cleyton, João e Kameron irão responder por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Após os trâmites cabíveis, eles serão levados para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde passarão por audiência de custódia e ficarão à disposição da Justiça.

Acompanhe a coletiva com o delegado

 

Três motoristas de aplicativo são presos por homicídio e ocultação de cadáver de adolescente

Três motoristas de aplicativo são presos por homicídio e ocultação de cadáver de adolescente

Posted by Radar Amazônico on Wednesday, October 21, 2020