Advogada de jovem vítima de estupro pedirá saída de delegado do caso

estupro_c7Kr6BFA advogada da jovem de 16 anos que denunciou ter sido estuprada por 33 homens, em uma comunidade da Zona Oeste do Rio, diz que vai pedir a substituição do delegado que está investigando o caso, Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI). Segundo a advogada informou ao RJTV, durante o novo depoimento da jovem na noite de sexta (27), o delegado deixou a menor se sentindo acuada.

“Havia três homens no ambiente e o delegado, ainda por cima, fez a pergunta se ela tinha hábito de fazer sexo em grupo.”, afirmou Eloísa Samy. A advogada disse que a família da menina está com medo e que quer proteção policial. De acordo com ela, a secretaria de Assistência Social ainda não fez nenhum tipo de contato com a família da menor.

A advogada da adolescente também criticou, neste sábado, o fato de Lucas e Raí ainda não terem sido presos. “Até ontem Raí não aparecia na lista dos quatro suspeitos identificados pela polícia”.

Os outros três suspeitos identificados são Marcelo Miranda da Cruz Correa, de 18 anos e Michel Brazil da Silva, de 20, suspeitos de divulgar as imagens na internet. Raphael Assis Duarte Belo, de 41 anos, aparece ao lado da vítima, numa foto.

A polícia demonstrou cautela ao falar sobre a investigação. Os delegados disseram que ainda não é possível afirmar quantas pessoas participaram do crime. E que esperam o laudo do exame de corpo de delito.

A polícia voltou na manhã deste sábado (28) à Praça Seca em busca dos criminosos. Homens de sete batalhões fizeram uma operação conjunta na comunidade. A casa onde aconteceu o estupro já foi localizada ontem pelos policiais. O local é conhecido como “abatedouro” o que, segundo o delegado, nas palavras das pessoas que já prestaram depoimento é o local para onde as meninas são levadas para fazer relações sexuais.

Fonte: G1