Advogado diz que Pazuello está pronto para a CPI e que hoje vai “descansar”

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o presidente Jair Bolsonaro Imagem: Evaristo Sá/AFP

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o presidente Jair Bolsonaro
Imagem: Evaristo Sá/AFP

Ele já conseguiu adiar a data do primeiro depoimento à CPI da Covid, pediu e obteve aval do STF (Supremo Tribunal Federal) para não responder questionamentos que possam incriminá-lo, mas agora não tem mais jeito: o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, estará amanhã (19) cara a cara com os senadores que estão sedentos por ouvir o ministro que mais tempo ficou na pasta durante a pandemia.

Apesar do cenário tenso, o advogado de Pazuello, Zoser Hardman, afirmou que o ex-ministro está “pronto para responder toda e qualquer pergunta aos senadores durante seu depoimento à CPI” e que na véspera de sua fala o general deve descansar a mente e o corpo.

“Por experiência profissional em circunstâncias análogas, tenho a convicção de que o dia que antecede a data do depoimento deve ser destinado ao descanso da mente e do corpo. Serão horas de depoimento. A estratégia mais utilizada por interrogadores em casos semelhantes é tentar cansar o depoente para que a mente falhe e o depoente se confunda, cometa erros. Ciente disso, o descanso da mente é sempre o melhor antídoto”, escreveu o advogado em mensagem ao ex-marqueteiro do ministro, Marcos Eraldo Arnoud, conhecido como “Markinhos Show.

A mensagem foi encaminhada a jornalistas e publicada nas redes sociais de Markinhos, que afirmou que recebeu a avaliação do advogado de Pazuello ontem quando perguntou sobre a ida do ex-ministro da Saúde na CPI.

Na mensagem, o advogado escreve ainda que Pazuello estará muito bem representado pela AGU (Advocacia-Geral da União), “especialmente pelo Dr Diogo Palau, advogado da união designado para fazer a defesa e acompanhar o ex-ministro durante seu depoimento”. “Não poderia estar em melhores mãos”, diz.

Hardman afirma ainda que “aquele que espera que o ex-ministro Pazuello entre em alguma provocação ou não aguente a maratona se surpreenderá”

Planalto e Exército sob tensão 

O otimismo do advogado de Pazuello, no entanto, não encontra eco no Palácio do Planalto.

Interlocutores do presidente Jair Bolsonaro admitem que o depoimento de Pazuello causa apreensão e tem potencial de trazer ainda mais desgaste para o governo.

Além do governo, há tensão também no Exército, já que Pazuello – que ainda é general da ativa – pode acabar expondo ainda mais as Forças Armadas em sua fala.