Anúncio

Aeroportos de Natal, Curitiba e Brasília são eleitos melhores de 2017

Os aeroportos de Natal, Curitiba e Brasília foram eleitos os melhores do Brasil na quarta edição do prêmio Aeroporto + Brasil, promovido pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

A premiação usa os resultados consolidados da Pesquisa de Satisfação do Passageiro, aplicada trimestralmente desde 2013 nos 15 maiores aeroportos brasileiros. Em 2017, foram ouvidos 54,5 mil pessoas que deram notas de 1 (ruim) a 5 (muito bom) para 38 indicadores, como infraestrutura, conforto e qualidade dos serviços.

Pela primeira vez os terminais foram divididos em três categorias, de acordo com o número de passageiros que atendem por ano. Entre os que movimentam até 5 milhões de pessoas, o mais bem avaliado foi o aeroporto internacional de Natal; de 5 milhões a 15 milhões, o eleito foi o de Curitiba; e acima de 15 milhões, o campeão foi o aeroporto internacional de Brasília.

O terminal da capital paranaense também foi destacado como o melhor desde que a pesquisa começou a ser aplicada. Nesse período, o aeroporto passou por obra de ampliação que quase dobrou a capacidade de passageiros, de 7,8 milhões para 14,8 milhões.

Para o diretor de planejamento, finanças e relações com investidores da Infraero, que administra o aeroporto, Ângelo Luiz Moreira Grossi, a expansão ajudou a melhorar o conforto dos viajantes. “Notamos uma melhora na circulação e na oferta de serviços”, diz.

Outro destaque do prêmio foi o aeroporto internacional de Manaus, cuja avaliação foi a que mais melhorou nos últimos cinco anos, com variação de 33% na nota média atribuída.

Ainda segundo a pesquisa, a satisfação média dos passageiros melhorou desde que o questionário começou a ser aplicado: a nota passou de 3,85, em 2013, para 4,36, em 2017.

Apenas o aeroporto de Fortaleza teve variação negativa do resultado de 2016 para 2017, de cerca de 2%. Para o coordenador da Secretaria de Aviação Civil, Paulo Afonso, o atraso nas obras pode ser um dos motivos da insatisfação dos passageiros.

O quesito com a pior avaliação geral foi o de facilidades, que inclui acesso a internet, estacionamento e quantidade e qualidade de lojas e restaurantes. Todos os terminais tiveram média inferior ao considerado bom, 4.

De acordo com Afonso, a pasta ainda não estipula metas para o setor de serviços, mas estuda adotá-las no próximo ano, como incentivo à ampliação de estabelecimentos comerciais.

Em 2019, a pesquisa também deve ser ampliada para os terminais regionais, totalizando cerca de 40 aeroportos. No primeiro trimestre deste ano, a pesquisa começou a ser realizada em 20 aeroportos.

Fonte: Folhapress.