Agentes fiscalizam o cumprimento de toque de recolher decretado pela prefeita de Presidente Figueiredo

Agentes de fiscalização da guarda municipal, polícia militar e das  secretarias de Presidente Figueiredo realizaram, na noite de sexta-feira (8), uma fiscalização para orientar sobre a importância do cumprimento do toque de recolher, ordenado entre 22h e 5h, e do fechamento de estabelecimentos não essenciais. A prefeita, Patrícia Lopes (MDB), determinou que entre esses horários os cidadãos devem permanecer em suas casas, para assim conter o crescente número de mortes causadas por infecções de coronavírus e ainda a superlotação do hospital e UBS no município.

“Com o decreto os cidadãos não poderão sair de casa entre 22h e 5h. Serviços não essenciais como bares e restaurantes devem permanecer fechados durante o horário de restrição. Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Vigilância Sanitária, e várias secretarias municipais farão a fiscalização para garantir o cumprimento da medida. Guardas municipais e vigilâncias sanitárias municipais darão reforço ao trabalho de inspeção.”

No mesmo dia da determinação do decreto, a fiscalização se fez presente para orientar a população para que feche seus estabelecimentos. Durante a operação, a fiscalização constatou alguns comércios e lanches ainda abertos, mas os comerciantes entenderam as explicações e baixaram as portas.

Presidente Figueiredo tem atualmente 4.117 casos positivos e 43 mortes provocadas pela doença desde o início da pandemia, conforme o boletim divulgado na sexta-feira (8).

A operação continuará durante o dia na área comercial da cidade, onde os proprietários deverão cumprir as recomendações do toque de recolher e do fechamento de estabelecimentos.

A Prefeitura também disponibilizou um Disk Aglomeração, número para denúncias anônimas de aglomerações e comércios não essenciais abertas: (92)98455-9380.