Aleam pagou R$ 4 milhões por propaganda que não se viu e tem mais de R$ 1,5 milhão empenhado para pagamento

Bem que o Radar perguntou, insistentemente, ao ainda presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), deputado Josué Neto (PSD), quais foram os serviços de propaganda e publicidade que justificassem o pagamento de quase R$ 3 milhões, em um ano, para a empresa P S Publicidade Ltda. ME – essa abreviatura significa que é uma microempresa. O Radar continuou repetindo a mesma pergunta, quando já estava eleito presidente da Casa, o deputado Davi Almeida, também do PSD de Omar Aziz, diante da constatação de que a cifra paga já tinha atingido quase R$ 4 milhões. Durante semanas, a promessa feita pela Diretoria de Comunicação da Casa, foi que a resposta viria, mas não veio.

Porém, essa conta fica ainda maior, caso some-se o que já foi efetivamente pago, quase R$ 4 milhões, ao que está empenhado para pagamento. Nesse caso, o montante direcionado a empresa P S Publicidade chega a quase R$ 5,5 milhões. Somente um dos valores empenhados, no mês de janeiro, para pagamento a dita empresa é de R$ 1,5 milhão, fora a diferença do que já foi pago e do que ainda resta a ser pago de determinados empenhos.

Na nota de empenho, no item “natureza de despesa”, a justificativa para os pagamentos são “serviços de publicidade e propaganda” – informações retiradas do Site Transparência do Governo do Estado, no link despesas/Poder Legislativo/Assembleia.

A P S Publicidade tem como nome fantasia Pdez Publicidade. O endereço é Avenida Tarumã, 1585, Praça 14 de Janeiro. Constam como proprietários Jocelanio Marcio da Silva e Fabricio Lago Pinto. O capital social da empresa é de 300 mil.

E o Radar continua perguntando: cadê essa propaganda que ninguém viu? E quais foram os serviços de publicidade que justifiquem pagamentos de milhões? Quem poderá nos responder? (Any Margareth)