Alessandra Campelo destacou ações e projetos a favor da Polícia Civil durante Sessão Especial

A deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) destacou as ações e projetos do seu primeiro mandato durante a Sessão Especial em homenagem aos servidores da Polícia Civil do Amazonas. A cerimônia aconteceu na manhã dessa segunda-feira (23), no plenário Ruy Araújo, na Assembleia Legislativa.

Escrivã concursada da PC, Alessandra enfatizou em seu pronunciamento a luta a favor da categoria desde o início do seu mandato, em 2015. A deputada apoiou causas como o cumprimento da lei do escalonamento, ameaçada na gestão do ex-governador cassado José Melo.

Alessandra também citou a fiscalização de contratos suspeitos, como o de um prédio no bairro de Petrópolis, que seria originalmente usado para abrigar o Instituto de Criminalística, mas que virou uma espécie de ferro velho. Mais de R$ 5 milhões de recursos públicos foram para o ralo do desperdício.

“É uma alegria poder homenagear a Polícia Civil todos os anos aqui nessa Casa e falar da luta que a gente tem feito no nosso mandato. Uma luta que não acontece só em 2018, que foi um ano de muitas conquistas, com certeza. Desde 2015 a gente tem tido aqui uma luta grande, desde a primeira vez em que o Rômulo (Valente, presidente do SINDEIPOL) chegou aqui trazendo os dados do escalonamento a gente começou a luta pelos policiais civis, pela PM e pelo Corpo de Bombeiros, além outros servidores da Saúde, professores, peritos, enfim, os trabalhadores de forma geral tanto do setor público quanto da iniciativa privada”, destacou Alessandra.

Nesses três anos de mandato, a deputada teve papel de destaque em defesa da categoria. Alessandra foi relatora da mensagem governamental que aprovou a reestruturação salarial da PC, medida que vai resultar na equiparação salarial entre escrivães, investigadores e peritos dentro da instituição.

“Essa é uma reposição que foi negociada de forma escalonada entre os sindicatos e o Governo, então ela começa agora e vai até 2022 o pagamento da última parcela. Além disso, ela também traz de volta para o quadro permanente da Polícia Civil a área meio, que é a área administrativa. Isso libera os policiais civis para a atividade fim, que é o mais importante”, comentou Alessandra.

Entre os vários assuntos abordados, a deputada falou de emendas de sua autoria que destinam recursos para melhorar a estrutura física das delegacias, com a especializada no atendimento a mulher. Alessandra também ressaltou a tramitação de um projeto de sua autoria que garante indenização a policiais militares, civis e bombeiros acometidos por transtornos psicológicos adquiridos em decorrência do serviço.

Homenageados por Alessandra na solenidade:

Juliana Gomes Tuma (delegada)

Akerna Marques Chagas Corado (investigadora)

Lucíola Menezes Soares (investigadora)

Rômulo Valente Cavalcante (escrivão)

Carlos Alves de Vasconcelos (investigador)

Moacir Maia de Freitas (investigador)

James Carvalho de Figueiredo (investigador)

Priscila Teixeira da Costa (investigadora)

Guilherme Torres Ferreira (delegado)

Wandeslan Demetrius de Queiroz (delegado)

Eduardo Paixão Caetano (delegado)

Paulo Mavignier Nogueira (delegado)

Metusael Farias Freire (investigador)

Antônio Lara Rondon Júnior (delegado)