Alessandra propõe prioridade para policiais na vacinação contra H1N1

A vice-presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB), enviou ofício ao vice-governador e secretário estadual de Saúde, Carlos Almeida Filho, para solicitar a inclusão de policiais civis e militares na relação de beneficiários prioritários na “Campanha Estadual de Vacinação contra a Gripe H1N1”. O documento foi encaminhado à Susam nesta terça-feira (19).

“A presente reivindicação justifica-se considerando que os mesmos estão em permanente contato com a população e em áreas de possíveis focos de doenças”, disse Alessandra no ofício.

Segundo ela, o ofício atende ao pleito dos policiais que solicitaram a intermediação da deputada junto ao Governo do Estado. A campanha de vacinação começa nesta quarta-feira (20).

Vacinação

A antecipação da campanha de vacinação contra influenza no Amazonas foi um pedido do Governo do Estado por causa do grande número de casos e mortes. Em todo o Amazonas, a meta é vacinar mais de 1,1 milhão de pessoas.

O público-alvo da campanha são crianças (de seis meses a menores de seis anos incompletos), idosos acima de 60 anos, grávidas, mulheres nos primeiros 45 dias após o parto, pessoas com doenças crônicas, como diabéticos e hipertensos, trabalhadores da saúde, profissionais da educação e do sistema prisional, povos indígenas e pessoas privadas de liberdade.

Durante a Campanha Nacional contra Influenza no ano passado, três Estados da Amazônia não atingiram a meta de vacinação, que era de 90% do público-alvo: Roraima, Acre e Amazonas.

De acordo com a última edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave no Amazonas, até a sexta-feira (15) quase 600 casos foram notificados. Destes, 106 deram positivo para o Vírus da Influenza A (H1N1) e 92 para Vírus Sincicial Respiratório.

Vinte e seis pessoas morreram por H1N1 no Estado, sendo 21 em Manaus, duas em Manacapuru, uma em Parintins, outra morte em Itacoatiara e uma em Japurá. Ainda segundo o boletim, são seis óbitos confirmados por Vírus Sincicial Respiratório, além de uma morte por Parainfluenza tipo 3.

Com informações da assessoria da parlamentar.