Alessandra requer imediata vacinação de mulheres grávidas, que estão amamentando ou acabaram de ter bebê 

As mulheres que estão grávidas, ou que estão em fase de amamentação (lactante) ou que acabaram de ter bebê (puérperas) que fazem parte dos grupos prioritários contra a Covid-19 estão incluídas em um requerimento da deputada estadual, Alessandra Campêlo (MDB) com solicitação de vacinação imediata. Alessandra falou sobre seu requerimento na sessão plenária desta terça-feira (16), da tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).O documento é direcionado à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Associação Amazonense de Municípios e à bancada federal. O indicativo leva em consideração a Nota Técnica nº 1/2021-DAPES/SAPS/MS, divulgada pelo Ministério da Saúde, que concluiu pela recomendação da vacinação das mulheres que pertencem a grupos prioritários, principalmente as que apresentam comorbidades.

“A nota ressaltou que não há contraindicação para a imunização dessas mulheres no país até o momento. Por isso a indicação de imediata vacinação para esse grupo. Logo em seguida, viriam as demais grávidas. Os dados apresentados pelo ministério demonstraram que grade parte das grávidas que adquirem Covid-19 são internadas e que há um número significativo de mortes inclusive das que estão passando pelo puerpério” – período também conhecido como resguardo, argumentou Alessandra.

Este foi o último requerimento apresentado por Alessandra enquanto parlamentar. A partir de amanhã (17), ela assume a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), órgão responsável pela gestão e coordenação da assistência social, segurança alimentar, habitação, transferência de renda e promoção da cidadania e Direitos Humanos no Amazonas.

A mudança marca o retorno de Alessandra Campêlo à gestão de secretarias estaduais. Em 2011, foi nomeada secretária Executiva da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror). No ano seguinte, assumiu o comando da Secretaria de Estado da Juventude, Desporto e Lazer (Sejel).

De acordo com Alessandra, ela assume a secretaria com a missão de garantir a inclusão social, priorizando a segurança alimentar e a geração de emprego e renda principalmente durante a pandemia e a enchente que o Amazonas tem enfrentado.

“Levarei minha experiência como gestora para a área social. Nosso foco, em primeiro lugar, será o básico, que é a segurança alimentar da população amazonense. Queremos fazer a inclusão social dessas pessoas, seja por meio do acesso ao emprego ou pela criação de cursos profissionalizantes que possam colocar e recolocar as pessoas no mercado de trabalho, seja através do apoio às crianças e adolescentes. Nossa ideia é unir todas as ações sociais que o governo já tem num grande guarda-chuva de ações sociais e trabalhar para que as pessoas tenham acesso aos seus direitos básicos”, declarou.

Assim como na Aleam, a pauta feminina será uma das prioridades na gestão à frente da Seas. “As mulheres serão um foco importante na secretaria não só por uma preocupação minha, mas também do governador. Temos muitas mulheres que vivem em situação de extrema pobreza, que são chefes de família ou tiveram que se tornar chefes de família porque perderam seus companheiros, e, principalmente, as mulheres vítimas de violência que por conta da dependência financeira se mantém num relacionamento com o risco de serem assassinadas. Elas terão voz e representação”, completou.

Com informações da assessoria