Alfredo Paes justifica “poda drástica” de árvores; Semmas diz que não foi informada

O secretário de Estado da Fazenda (Sefaz) Alfredo Paes, justificou o corte das copas das arvores do estacionamento da Secretaria, dizendo se tratar de uma atitude para ‘salvar a espécie’. Ele disse que comunicou a medida à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) para o corte. No entanto, a Semmas informou que só tomou conhecimento a respeito das podas drásticas, por meio do Radar, nesta sexta-feira (3) e, por isso, encaminhou equipe ao local da ocorrência.

Através da assessoria de comunicação, a Semmas diz que os técnicos encontraram indícios de podridão nos galhos e rachaduras nos troncos bifurcados que restaram no local, indicando a possibilidade de risco iminente de queda. “No total, oito árvores da espécie paliteira foram submetidas à poda, segundo os responsáveis, para salvaguardar os veículos estacionados e as pessoas que circulam no local. A paliteira é considerada espécie invasora e inadequada para a arborização”, informou a Semmas por meio de nota, ao ressaltar que notificou a Sefaz a apresentar um relatório fotográfico apontando a situação em que se encontravam as árvores antes da poda, para confirmação do quadro.

“Os técnicos deverão retornar ao local para um diagnóstico nas demais paliteiras existentes no terreno. O Plano Diretor de Arborização Urbana prevê procedimentos emergenciais de poda, sem a autorização, para resguardar e manter a integridade dos cidadãos”, concluiu a Semmas.

De acordo com informações do secretário, divulgadas pela assessoria, a Sefaz realizou o corte das árvores, quase até o tronco, no estacionamento dos servidores, localizado atrás do prédio anexo Ozias Monteiro, durante o feriado do dia 2 de novembro. Segundo ele, já havia um calendário pré-estabelecido pela administração anterior (estruturado em 2016 para vigorar em 2017) para “promover a melhoria da estrutura física” – lá vem essa estória de novo de ratificar medida do governador cassado José Melo.

Diz a nota enviada pela Sefaz: “As paliteiras, da espécie clitoria racemosa, apresentavam cupinzeiros e outros tipos de doenças que as tornaram ainda mais frágeis. Nos dias de chuva intensa, muitos galhos se desprendiam, caindo sobre os carros estacionados no local. O risco de acidentes era iminente, podendo ameaçar a integridade física dos usuários do estacionamento e ainda causar prejuízos de ordem material”.

A secretaria também informou que, conforme calendário estabelecido, irá plantar 50 novas espécies. “As novas árvores irão recompor a flora do entorno, que praticamente desapareceu quando funcionava uma praça improvisada na frente da Secretaria”, diz a nota, ressaltando que as novas espécies serão escolhidas com base em critérios técnicos de longevidade e elevado grau de resistência a doenças e intempéries. Conforme as informações repassadas, as paliteiras não serão mais empregadas por serem frágeis e terem período curto de existência.

Alfredo Paes afirmou que está atendendo o que dispõe a Resolução COMDEMA nº 001/2012, de 03 de janeiro de 2013, por isso, procedeu à poda das árvores e afirmou que comunicou a medida à Semmas, e solicitou que ela avalie a necessidade de poda ou retirada de árvores de grande porte que permaneceram na área, mas parecem não estar em boas condições.

“Ressalto que não era do meu conhecimento e que não autorizei a poda de árvores nesta Secretaria de Fazenda, ação que ocorreu cumprindo um calendário pré-estabelecido pela administração anterior, pelo que determinei a imediata apuração das responsabilidades no âmbito desta Sefaz, tanto no que tange a inexistência de manutenção nos jardins quanto às comunicações e consultas feitas fora do prazo à Semmas”, esclareceu o secretário.