Anúncio Advertisement

Falta de troco em agência do Bradesco no interior é investigada pelo MPE

Foto: Reprodução/JI

Após reclamações de usuários, os serviços prestados pelo Banco Bradesco ao município de Parintins (a quilômetros de Manaus) viraram alvo de investigação do Ministério Público do Estado (MPE). Isso porque o órgão instaurou inquérito civil para apurar o tempo de espera para atendimento e a restrição da agência ao pagamento de contas por falta de dinheiro para dar troco. (Veja extrato do inquérito no final da matéria)

“Considerando o elevado número de reclamações que chegaram ao conhecimento desta Promotoria de Justiça acerca do tempo de espera para atendimento, determinamos a realização de fiscalização, quando foram confirmadas várias irregularidades, como a espera superior a 2 horas para grávidas e idosos, além de outros problemas detectados por esta Promotoria”, argumentou a Promotora de Justiça Lilian Nara.

Na portaria de instauração do inquérito, o Ministério Público propõe ao banco a celebração de Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta para resolver o problema.

Além disso, o MPE requisitou a agência informações sobre o controle de atendimento de usuários comuns e prioritários e sobre a regularização do problema com moedas.

Segundo o órgão ministerial, a ação busca restabelecer o atendimento de clientes em agências bancárias em Parintins dentro dos parâmetros estabelecidos pela Lei Municipal n.º 0356/2005-PGMP.

Segundo a lei, é ‘razoável’ o tempo de até 30 minutos em dias normais e de até 40 minutos em vésperas ou após feriados. Os bancos que não cumprirem a lei estão sujeitos a advertência, multa de cinco a 10 salários mínimos, com aplicação em dobro no caso de vítima com mais de 60 anos de idade.