Anúncio Advertisement

AM-174 está interditada, criticam deputados. Cadê a Seinfra?

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), deputado David Almeida e o deputado Luiz Castro, disseram em pronunciamentos feitos naquela Casa Legislativa que a rodovia que liga os municípios de Apuí e Novo Aripuanã, a AM-174, que eles classificaram como uma das estradas mais importantes do Estado, está interditada há cinco dias.

Eles mostraram fotos de caminhões parados na pista e pediram providências imediatas da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) para a liberação da estrada, que além de não estar asfaltada, tem algumas pontes quebradas.
David Almeida lembrou que a rodovia é essencial para o escoamento da produção de laticínios e pecuária do Sul do Amazonas à capital e, consequentemente, para a circulação de dinheiro nos municípios.
“Essa é uma das estradas mais importantes do nosso Estado. Ela leva a riqueza de Apuí e Matupi até Novo Aripuanã. São 230 mil cabeças de gado em Apuí e mais 170 mil cabeças de gado no Distrito de Matupi, em Manicoré. Essa estrada é que abastece os grandes frigoríficos”, salientou o presidente da Aleam.

David Almeida disse ainda que as propagandas do governo contrastam com a realidade vivida pela população.

“Vemos uma expectativa vendida na propaganda, mas a realidade é essa, de abandono. A secretaria de Infraestrutura tem recursos, como o próprio secretário disse em entrevista na rádio, e queremos que eles deem atenção ao Sul do Amazonas, que é uma região rica e que precisa do auxilio do Estado”, finalizou.

O deputado Luiz Castro mostrou, no telão do plenário, as fotos da AM-174 com as pontes danificadas e caminhões tombados, afirmando que encaminhará requerimentos à Secretaria Estadual de Produção (Sepror) e à Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra), solicitando apoio, em caráter de urgência, à Prefeitura de Apuí, para reconstruir as pontes e normalizar o tráfego na estrada.
O Governo do Estado, segundo Luiz Castro, não realiza nenhuma ação de manutenção na AM-174, apesar de ser uma estrada de grande importância para o escoamento de produtos da agroindústria, especialmente de carne e de queijo, produzidos em Santo Antônio do Matupí, em Manicoré, e em Apuí, que abastecem a capital Manaus.

A situação das estradas naquela região, se agrava devido ao período chuvoso, formando atoleiros que dificultam o tráfego entre os municípios de Apuí, Humaitá e Novo Aripuanã.

Recuperação de vicinais

De acordo com Luiz Castro, a Prefeitura de Apuí tem realizado um trabalho significativo, na recuperação de mais de 900 quilômetros de estradas vicinais do município, com recursos próprios. “Mas há muito tempo o Governo não faz a sua parte na execução de obras de manutenção da AM-174”, reclamou Luiz Castro.

O deputado disse ainda que a recuperação das vicinais facilitou o escoamento da produção do município, beneficiando também o transporte dos alunos da zona rural, que hoje dispõem de seis ônibus novos adquiridos pela Prefeitura, no valor de 1,4 milhão, com os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).