Amazonas acumula 124 casos de rabdomiólise

A maioria das vítimas são homens

Foto: divulgação

O Amazonas já acumula 124 casos notificados de rabdomiólise em 14 municípios, conforme aponta o novo boletim da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), divulgado nesta sexta-feira (3).

Do total de notificações (124), 68 (55%) casos atendem à definição de caso compatível e 56 (45%) casos foram descartados. Permanecem em 10 municípios que registraram casos compatíveis com a doença: Itacoatiara (37), Parintins (12), Manaus (6), Urucurituba (4), Silves (3), Maués (2), Autazes (1), Caapiranga (1), Itapiranga (1) e Manacapuru (1).

Dos 68 casos compatíveis, dois (3%) foram registrados em novembro, ambos residentes de Itacoatiara, sendo um caso nos últimos 14 dias (15/11 a 29/11).

“Percebe-se redução no número de notificações realizadas pelas secretarias municipais de saúde. No entanto, todas as forças de vigilância continuam sensíveis para identificar casos suspeitos da síndrome”, destaca a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim.

Dos 68 casos compatíveis, conforme o boletim, 60% (41) são homens. Em relação à faixa etária dos acometidos, 63% (43) pessoas são maiores de 40 anos, seguido da faixa etária entre 20 a 39 anos, com 21% (14) dos casos.
Quanto aos sinais e sintomas mais frequentes entre os pacientes integrantes do grupo de casos compatíveis, destacam-se: mialgia (100%), seguido de náuseas (75%) e fraqueza muscular (68%).

Rabdomiólise

A rabdomiólise é uma síndrome clínico-laboratorial que decorre da lesão muscular com a liberação de substâncias intracelulares para a circulação sanguínea.

Ocorre normalmente em pessoas saudáveis, na sequência de traumatismos, atividade física excessiva, crises convulsivas, consumo de álcool e outras drogas, infecções e ingestão de alimentos contaminados que incluem o pescado.
O quadro clínico da doença pode incluir elevações assintomáticas das enzimas musculares séricas (creatinina-fosfoquinase – CPK).

(*) Informações da assessoria