Amazonas apresenta crescimento em casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave, diz Fiocruz

Algumas capitais amazônicas também aparecem na lista de crescimento de tendência a longo prazo

Foto: Divulgação

O Amazonas apresentou crescimento nos números de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), segundo levantamento feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgado nesta quinta-feira (5).

Os dados mostraram que o número de casos voltaram a crescer no fim de abril, entre adultos, não somente no Amazonas como também em outros estados brasileiros entre eles, Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima e Santa Catarina.

Algumas capitais amazônicas também aparecem na lista de crescimento de tendência a longo prazo: Rio Branco (AC), Belém (PA), Cuiabá (MT), Macapá (AP) e São Luís (MA).

Ainda segundo o boletim Infogripe, há uma média de 4,7 mil casos entre adultos somente na última semana de abril, enquanto na semana anterior foi registrado 3,5 mil casos .

De acordo com o coordenador do Infogripe, o pesquisador Marcelo Gomes, a principal suspeita é de que o aumento esteja associado à Covid-19, que apresenta leve crescimento na positividade de casos leves. No entanto, a situação também pode estar ligada a um possível retorno da Influenza A, o vírus da gripe.

“Os dados laboratoriais associados aos casos de SRAG ainda não nos permitem precisar. As próximas atualizações poderão trazer maior clareza. De qualquer forma, é importante que a rede laboratorial esteja atenta a possibilidade de circulação simultânea desses dois vírus respiratórios, testando para ambos sempre que possível”, explicou o especialista.