Anúncio

Amazonas é o estado da Região Norte com maior taxa de violência contra a mulher, diz deputado

O deputado petista José Ricardo Wendling comentou, durante sessão plenária dessa quarta-feira (6) da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) as informações do Atlas da violência no Brasil divulgado, recentemente nos jornais, que aponta o crescimento do número de mortes de mulheres no país e no Amazonas. Segundo o parlamentar, os números mostram que o estado da região Norte com maior taxa de feminicídio nos últimos dez anos é o Amazonas. De acordo com o parlamentar, os dados da violência apresentados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostram que no Amazonas houve um crescimento de 118% nos casos de violência contra as mulheres e 12 mil assassinatos de mulheres e jovens entre os anos de 2006 a 2016.

“É uma triste realidade que estamos vivendo. Nosso estado continua figurando entre os mais violentos do país e no total de homicídio os jovens representam quase 60% das vítimas. Todos os dias os jornais divulgam o envolvimento de jovens com drogas e morrendo por causa do tráfico. Essa situação é demonstrada nesses dados tristes. A responsabilidade é do poder público, que deveria fazer ações preventivas e de acolhida, de apoio aos jovens envolvidos nas drogas. O Estado não se interessa em investir nos tratamentos dos dependentes químicos, mas felizmente temos iniciativas da sociedade civil, como é o casos da Igreja Católica que está expandindo a Fazenda da Esperança para o interior, porque não há alternativas do próprio poder público”, disparou José Ricardo.

Ele também destacou que é preciso discutir melhor a política de segurança e de prevenção à violência, portanto uma política de estado que dever ser discutida na Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO), pois é o momento de definir onde serão aplicados os recursos públicos, e logicamente na prevenção da violência, o que contribuirá para diminuição desses indicadores.

Lixeira a céu aberto

O deputado José Ricardo (PT) também denunciou uma lixeira pública a céu aberto no Município de Codajás (a 240 quilômetros de Manaus), sendo foco de poluição do lençol freático e do meio ambiente como um todo. O parlamentar ingressou, nessa quarta-feira (6) com representação no Ministério Público do Estado (MPE) denunciando essa ação ilegal e responsabilizando a Prefeitura do município e o próprio Governo do Estado, que deveria estar fiscalizando essas lixeiras irregulares. “Também vou enviar essa denúncia ao Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas), que é o órgão responsável por fiscalizar os lixões irregulares. Próximo dessa lixeira passa um igarapé e ainda tem viveiros de peixes, todos sob risco de contaminação, desrespeitando o que estabelece o Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). O MPE deve intervir e cobrar dos responsáveis”.

Ele explica que o lixão está localizado na estrada que interliga Codajás a Anori, que há anos vem contaminando a região, sendo que o local abandonado é importantíssimo para a preservação e respeito ao meio ambiente, já que possui lagos, viveiros de peixes, entre outros elementos inerentes à natureza. O artigo 225 da Constituição Federal prevê que todos têm direitos ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

“Mas o que vimos foi o lixo sendo despejado de qualquer jeito sem a observância à legislação, havendo omissão do poder público”, completou José Ricardo, citando no documento que o MPE deve ainda cobrar para que a Prefeitura de Codajás faça a destinação correta do lixo e que a coleta pública seja contínua e ininterrupta.

Fonte: Assessoria de imprensa do deputado