Anúncio Advertisement

Amazonas Energia deixa parte da cidade sem energia por quase 24 horas e não dá qualquer satisfação ao consumidor

energia raiva

Ontem, um companheiro jornalista, Hudson Fonseca, liga para o Radar, às 19 horas, e conta o que ele e os moradores do conjunto Vila Real, Nova Cidade e Conjunto Cidadão estão passando desde às 15 hs sem energia, num dia de calor insuportável e, no seu caso, ainda com criança pequena em casa. Mas, como se somente a falta de energia não bastasse, ainda tem o total desrespeito da empresa Amazonas Energia com os consumidores que não conseguem qualquer informação sobre o que está acontecendo, e se tentam reclamar seus direitos ainda levam pela cara mensagens explícitas de que podem reclamar até para o papa porque nenhuma punição será imposta à empresa. O abuso e o constrangimento começam quando o consumidor liga para o telefone de atendimento da Amazonas Energia 0800 701 3001. Liga inúmeras vezes, chega a cansar o dedo de ligar e religar e não completa a ligação, ou cai a ligação antes de completar, e quando consegue após dezenas de tentativa, ainda tem que passar por incontáveis e insuportáveis atendimentos digitais, até conseguir falar com um ser humano, que apenas te diz que sua ocorrência está registrada e que só te resta esperar, por quanto tempo ele não sabe precisar. E, não adianta insistir em saber qual é o problema que está ocorrendo, porque a única coisa que vai ouvir é: “Isso não é conosco. Aqui é só para registrar ocorrência. Informações sobre o que está ocorrendo é apenas com o setor técnico e ele não informou o que está ocorrendo”. Só falta dizer pra gente ir reclamar para o papa.

Já o companheiro Hudson Fonseca, ontem, não conseguiu nem registrar a ocorrência, porque as ligações para o 0800 não completavam de forma alguma – e continua hoje do mesmo jeito já que o povo aqui do Radar já tentou ligar sem sucesso. Com a experiência de quem trabalha em comunicação, Hudson se dirigiu até a central de atendimento técnico da Zona Norte, na subestação da Amazonas Energia da Cidade Nova, na avenida Noel Nutels, e para sua surpresa e indignação ficou sabendo que ela foi desativada. Ou seja, a maior Zona de concentração populacional da cidade, não tem mais uma central técnica, e sequer a população foi avisada disso. Ficou sabendo ainda que o atendimento técnico da Amazonas Energia para a Zona Norte se localiza, agora, na Bola do Coroado, onde está a central de atendimento da Zona Leste. O que nos leva a avaliar o seguinte: Se o atendimento para reparos técnicos na Zona Norte já era uma porcaria quando as equipes técnicas ficavam concentradas na área, que dirá agora, ficando lá no Coroado. Além disso, como é que a Amazonas Energia, ao invés de aumentar o atendimento ao consumidor, faz é diminuir, desativando centrais técnicas. E que qualidade de atendimento é essa, quando se concentra em apenas uma central de atendimento as duas maiores zonas populacionais da cidade, Norte e Leste.

Foi exatamente o que o companheiro jornalista verificou, indo até a central técnica no Coroado. Foi informado que o número de equipes é pequeno para o grande número de ocorrências que são registradas. Ele também tentou a alternativa – e eu junto com ele em solidariedade ao colega – de sair ligando para meia cidade, funcionários da Amazonas Energia, colegas jornalistas da assessoria de imprensa da empresa, e até políticos que poderiam intervir no sentido de pelo menos dar uma explicação sobre o que estava ocorrendo. Como sempre, a resposta foi o silêncio constrangedor. Quase 23 horas, só nos restou desistir e engolir a raiva e a humilhação com a constatação de que o povo da nossa cidade – e estamos incluídos nele –  é tratado como ninguém, para quem os empresários não se acham na obrigação nem de dar satisfação. (Any Maragareth)