Amazonas Energia está superfaturando contas e humilhando moradores do Viver Melhor II, denuncia vereadora

Foto: Reprodução/Internet

Após receber denúncias de moradoras do Conjunto Viver Melhor II, zona Norte de Manaus, a vereadora Mirtes Salles (Republicanos) revelou, na Câmara Municipal de Manaus (CMM) nesta segunda-feira (19), que a empresa ‘Amazonas Energia’ está realizando superfaturamento de contas, que configura uma ação ilegal, e humilhando os consumidores da localidade quando estes fazem cobranças e reclamações.

As moradoras do bairro também denunciaram, durante uma reunião de empreendedoras, que as pessoas responsáveis pela leitura dos contadores, muitas vezes não sobem nos apartamentos, colocando qualquer valor na conta.

“Isso é um absurdo. Essas senhoras moram em apartamentos de cinquenta metros quadrados, algumas não têm ar-condicionado, apenas ventilador e pagam uma média, por mês, de quatrocentos e cinquenta reais de conta. Tem morador que chega a pagar mil reais. Essa situação é uma falta de respeito com os consumidores e não podemos admitir isso”,  afirmou.

Uma dessas denúncias foi da dona de casa Maria Luzia Corrêa. Ela mora com o marido e paga R$450 por mês de conta de luz. Ela chegou a reclamar com a concessionária, mas foi maltratada por um funcionário da empresa.

“Fui reclamar e o rapaz me respondeu que a geladeira era muito velha, por isso, gastava muito energia. Fiquei revoltada e apenas respondi: então me dá uma nova. Isso é um descaso muito grande porque eles não fazem a leitura. Nosso apartamento chegou a ficar um ano fechado e a conta vinha com o mesmo valor”, disse dona Maria Luzia.

Mirtes Salles lembrou que em 2011 fez uma denúncia no mesmo teor contra a Amazonas Energia e na época a concessionária devolveu dinheiro aos consumidores. Agora, mais uma vez a vereadora luta pelos direitos dessas pessoas.

“Vou pedir à Amazonas Energia que faça um mutirão no Viver Melhor, para a revisão destas contas, análise dos contadores, e principalmente que a concessionária faça um treinamento com os atendentes. Essa é uma briga antiga que prometo continuar”, concluiu a vereadora.

(*) Informações da assessoria