Amazonas mais uma vez é manchete nacional com aumento de 52% em mortes violentas

Ainda não se viu os resultados do programa "Amazonas mais Seguro" com gastos de R$ 280 milhões dos cofres públicos 

Jovem morre metralhado no bairro Petrópolis/ Foto: Luiz Mendes

O Amazonas voltou a ser manchete na mídia nacional nessa terça-feira (14) por causa do aumento de 52% no número de mortes violentas, na contramão do que aconteceu na maioria dos Estados do país que chegaram a ter queda no número de homicídios. Esses dados são Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O crescimento da violência no Amazonas ocorre em paralelo ao programa Amazonas Mais Seguro, que tem sido tema de propaganda diária do governo do Amazonas, no horário nobre das TVs e na mídia local e motivo para que o governador Wilson Lima (União Brasil) faça palanque política com a entrega de viaturas, armas e equipamentos de segurança pública. Os gastos com o programa Amazonas mais Seguro é de R$280 milhões, mas os resultados até agora não apareceram.

Governador Wilson Lima em evento de entregas de viaturas

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a taxa de assassinatos no Amazonas por cada 100 mil habitantes saiu de 24,2 para 36,2, o que representou um aumento de 52%, entre 2020 e 2021, enquanto o resto do país registrou uma queda de 8% na taxa de assassinatos no mesmo período, saindo de 20,8 para 19,2 para cada 100 mil habitantes.

De acordo com dados divulgados no site da SSP-AM (Secretaria de Estado de Segurança Pública do estado) e apontados no Monitor da Violência, no ano de 2020 o Amazonas registrou 954 homicídios dolosos, enquanto no ano de 2021 foram registrados 1.464. Vale ressaltar que a região Norte foi a única a registrar aumento na taxa, com o Amazonas sendo a maior taxa de crescimento, seguido do Amapá (17%) e Roraima (7%) fecham o Top-3.

Vale lembrar que a SSP separa latrocínio e lesão corporal seguida de morte de homicídios. Esses números, quando somados, elevam ainda mais o número de mortes violentas em Amazonas. Em 2020, foram 36 vítimas de latrocínio no estado. Já em 2021, o número teve um salto para 69, um aumento de quase 60%. Já no caso de lesão corporal seguida de morte, em 2020 foram registradas 19 e em 2021 mais 15 mortes por espancamento.

Se for totalizado os dados, como deveria ser já que todos os casos são mortes violentas, o Amazonas teve 1.548 (um mil e quinhentos e quarenta e oito homicídios) somente no ano passado.