Amazonino diz que deputado é pago pra trabalhar e não pra fazer “aga”

O governador Amazonino Mendes (PDT) desancou o Projeto de lei N. 134/2017, que cria o Comitê Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção no Amazonas, aprovado no início deste mês, no plenário da Assembleia Legislativa do Estado (ALEAM). O Projeto foi enviado à Casa como uma Mensagem Governamental elaborada pelo ex-governador interino David Almeida (PSD). As críticas foram feitas, na manhã desta quarta-feira (8), durante coletiva de imprensa, na sede do Governo, localizada no bairro Compensa, zona Oeste de Manaus, ao ser questionado se vai implantar o comitê anti-corrupção como está determinado no projeto.

Em resposta sobre qual tratamento ele daria para essa ferramenta de combate à corrupção, o governador, no mesmo momento, atravessou a pergunta do repórter e disse que a criação desse comitê é algo risível.

“Isso é para inglês ver. A corrupção deve se combater de qualquer maneira. Por exemplo, no meu governo, se tiver alguém praticando corrupção eu ponho para fora na hora. Para quê comitê? Só pode ser algo politiqueiro. Só pode ser, e o Brasil está cheio. Eu tenho a obrigação de ser honesto”, rebateu.

Amazonino afirmou que a criação do comitê se assemelha a Controladoria e Ouvidoria que, segundo ele, nunca funcionaram. “Aqui tínhamos uma ouvidoria, criada por mim lá atrás e nunca funcionou, e uma controladoria que nunca funcionou também. Temos que ter coisas para valer e não para fazer de conta”, comentou.

Ao ser indagado sobre o papel da Assembleia como um órgão fiscalizador do Executivo Amazonino disse que o poder Legislativo deve fazer o trabalho dele. “Um deputado ganha por mês, o povo paga, para ele trabalhar, produzir e ajudar a população, não é para estar fazendo mise en scène (jogo de cena). Eu sou contra esse tipo de coisa. Vai querer fazer aga (menon)?!”, disparou ao ressaltar que se sente constrangido com a criação deste comitê. Segundo ele, são vícios tolos e bobos que devem ser erradicados.

Continuou o governador afirmando: “os órgãos fiscalizadores como Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado devem cumprir o papel deles, assim como a Assembleia também”, afirmou.

De acordo com o texto do projeto de criação do Comitê o objetivo é intensificar o combate à corrupção no Amazonas. A proposta foi aceita pela maioria dos parlamentares no momento da sua aprovação na Assembleia.

Após ser aprovado na Assembleia Legislativa, o projeto já foi para sanção do governador mas, pelo que tudo indica vai levar é um veto total! Se fosse sancionado por Amazonino, o comitê seria vinculado ao Controlador Geral do Estado e passaria a ser um órgão colegiado e consultivo que tem como finalidade, sugerir, debater, avaliar e acompanhar a implementação de medidas de aperfeiçoamento dos procedimentos e sistemas de controle, e estratégias de prevenção e combate à corrupção e a impunidade.

David Almeida afirmou no dia da aprovação da matéria em plenário que isso referendava o compromisso do Legislativo Estadual em contribuir para que práticas de corrupção passem a ser vedadas com rigor. Pelo jeito, Amazonino pensa diferente!