Amazonino manteve e firmou novos contratos com Grupo Bringel que somam mais de R$ 55,8 milhões

Bem ao contrário do discurso que tem assumido nas redes sociais dizendo-se envergonhado com os escândalos de corrupção no Estado e largando a peia no Grupo Bringel, cujo dono foi preso na Operação Cashback, acusado de desviar dinheiro da saúde pública, o governador e candidato à reeleição Amazonino Mendes (PDT), não só manteve contratos que já existiam com o Grupo Bringel, alguns visivelmente suspeitos, mas também firmou dois novos contratos a Bringel Medical Distribuidora de Medicamentos Ltda – empresa do Grupo Bringel.

Os contratos mantidos pelo Governo e firmados durante a gestão de Amazonino Mendes totalizam mais de R$ 55,8 milhões, segundo os dados disponibilizados no Portal da Transparência do Estado. (Veja dados no fim da matéria)

Em pelo menos um desses contratos, qualquer leigo em administração pública, acha estranho o Governo pagar R$ 35,7 milhões do via Secretaria de Estado da Educação (Seduc) para promover palestras educativas sobre coleta de fezes para os alunos da rede estadual de Ensino. (Veja o contrato no fim da matéria)

O contrato foi firmado em 17 de março de 2017 e esteve vigente até março deste ano, portanto, foi mantido pelo governo de Amazonino Mendes mesmo sendo algo tão esdrúxulo que, no mínimo deveria ter sido investigado. .

No mesmo dia, em 17 de março de 2017, a Seduc firmou um outro contrato com a Bringel Medical Distribuidora de Medicamentos Ltda – é isso mesmo que você leu, dinheiro da educação para pagar uma empresa de saúde! No valor de R$ 18,5 milhões, o contrato também tinha vigência até março deste ano, e tinha como objeto a realização de procedimentos odontológicos em consultórios instalados e em unidades móveis para atendimentos dos alunos da rede estadual de Ensino. (Veja o contrato no fim da matéria)

Em junho e julho deste ano, o Governo de Amazonino firmou outros dois novos contratos com a Bringel Medical Distribuidora de Medicamentos Ltda, a mesma Bringel que Amazonino acusa nas redes sociais de estar metida na roubalheira da saúde. Em junho, o Serviço de Pronto Atendimento e Pronto Socorro Dr. Platão Bezerra de Araújo firmou um contrato de mais de R$ 1 milhão com a empresa do Grupo Bringel para fornecimento de órteses e próteses para procedimentos cirúrgicos traumato-ortopédicos. O contrato tem vigência até junho do ano que vem (Veja o contrato no fim da matéria)

Um mês depois, em julho deste ano, a Bringel Medical Distribuidora de Medicamentos Ltda. foi contratada por R$ 509,7 mil pelo Hospital e Pronto Socorro João Lúcio para aquisição de materiais de consumo para atender aos procedimentos traumato-ortopédicos de média e alta complexidade (órtese, prótese e materiais especiais – OPME) até julho de 2019.

Informações disponibilizadas no Portal da Transparência apontam R$ 1,7 milhão em pagamentos à empresa no período de 2017 a 2018, inclusive no Governo de Amazonino Mendes.

Veja os contratos na íntegra:

Contratos entre a Bringel e o Governo de Amazonino Mendes

Contrato entre a Bringel e a Seduc – palestra

Contrato entre a Bringel e a Seduc – procedimentos

Contrato entre a Bringel e o HPS Platão Araújo

Contrato entre a Bringel e o HPS João Lúcio