Amazonino vai levar ‘Leite do Meu Filho’ para todo o Amazonas

Em noite de visitas aos bairros Nova Vitória, Riacho Doce, São José, Praça 14 de Janeiro e Coroado, o candidato Amazonino Mendes (PDT), da coligação “Eu voto no Amazonas”, disse, na noite da sexta-feira (13/10), que irá reeditar o programa “Leite do Meu Filho”, e estender para todo o estado. O programa de nutrição infantil foi criado por Amazonino no terceiro mandato como prefeito de Manaus, em 2009, cujo o objetivo é auxiliar famílias de baixa renda.

“Nós não vamos fazer distribuição por distribuição. Nós vamos cuidar da criança, para levar paz e tranquilidade aquela família”, frisou Amazonino.

De acordo com o candidato, que participou ao lado de Rebecca Garcia (PP), candidata a vice-governadora, do Encontro com Mulheres, no bairro Coroado, Zona Leste, o programa auxilia diretamente no dia a dia das crianças em vulnerabilidade social. “A FAO, órgão das Nações Unidas (ONU) já identificou que grande parte das mazelas sociais, os desvios da infância e da juventude têm em seu nascedouro, quando, ainda, crianças no período de lactação. Elas são mal alimentadas, não conseguem ingerir a quantidade suficiente de vitaminas e proteínas, e crescem deformadas (mentalmente e fisicamente) e viram em potencial criminoso”, explicou o candidato, ressaltando que as mães em vulnerabilidade social serão amparadas.

“Isso dói. Imaginem uma mãe, perdida nesses bairros, com o marido desempregado, ela mesma desempregada, cuidar dos seus filhos, muitas vezes uma escadinha, é desumano. Elas serão amparadas. E quem vai fazer esse trabalho, é uma mulher firme, segura, que é a Rebecca (Garcia)”, completou.

Alerta

Às mulheres, Amazonino chamou a atenção para a falta de experiência do adversário no segundo turno. “Cuidado, gente. Todo cuidado é pouco. Porque o ouro falso, o famoso ouropel, nem tudo que reluz é ouro. Nem tudo que balança, cai. Não deem uma de tolos e de tolas. O governo precisa de gente competente, capaz, séria, e que tenha de preferência demonstrado capacidade. Arriscar? Negativo. Isso não dar”, asseverou Amazonino.

Para o líder comunitário do Riacho Doce, Ademar Silva, o Pandora, disse que o estado não aceita candidato sem experiência para governar para quatro milhões de pessoas. “Não podemos mais testar governador. Precisar de alguém experiente para avançar com o estado do Amazonas. Não vamos cair na besteira de experimentar”, disse o líder.

Matéria de responsabilidade da assessoria do candidato