Ana Furtado diz que ter fé ajudou a enfrentar desafios

Em entrevista dada ao jornal O Globo, Furtado contou ser fã de Walcyr Carrasco, autor do folhetim, e que queria muito fazer uma novela escrita por ele. “Quando ele me falou da Gerusa, o que ela era e onde estava, aceitei imediatamente.

Fazer alguém muito distante de mim, numa circunstância completamente atípica (no cárcere) é bárbaro. É uma possibilidade rara de me apresentar de uma forma completamente diferente, de um jeito que ninguém me viu antes. Nem eu”, contou a artista.

Católica não praticante, Furtado conta que a fé é o ponto que a liga a personagem. Para ela, esse é um dos fatores que a ajudam a enfrentar as dificuldades, dentre as quais a luta contra um câncer de mama que enfrentou em 2018.

“Sou a personificação da vitória, da força e da coragem. A minha vida sempre foi pautada em grandes desafios. O que eu vivi em 2018 foi um dos maiores, e o meu exercício de fé para passar por esse momento foi muito grande. Deus sempre me acolheu e me fortaleceu. Andar com fé eu vou e, pelo menos comigo, ela nunca falhou”, disse, fazendo alusão à música “Andar com Fé”, de Gilberto Gil.

Para a atriz, deixar a vaidade de lado em prol da personagem foi bem tranquilo. “Tenho uma essência simples. Não uso maquiagem no dia a dia. Porém, as pessoas não me veem assim e têm mais a referência da minha imagem na TV. E lá, claro, tenho esse cuidado de estar maquiada, com o cabelo impecável e com corte da moda”.

Por falar nisso, apesar da alegria em voltar às novelas, Furtado deixa claro que seu foco agora é seu trabalho como apresentadora do É de Casa (Globo).  “Eu me sinto à vontade no programa. São três horas que, para mim, passam tão rápido… Quando é assim, é porque tem prazer. Eu estou num momento profissional de celebração” disse.