Análises que só o Radar faz pra você sobre a 7ª pesquisa Perspectiva de intenção de voto para Governo do Estado (ver vídeo)

Tem gente que já deve até ter divulgado que a sétima pesquisa eleitoral de intenção de voto para o Governo do Estado, feita pela empresa Perspectiva Tecnologia da Informação, registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas sob o número TRE/AM -Nº 00032/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com Nº 00443/2014 e divulgada nesta segunda-feira, pelo empresário Durango Duarte, da Channel – Perspectiva Tecnologia da Informação, deu como resultado, 51,9% dos votos válidos para o candidato da coligação “Renovação e Experiência”, senador Eduardo Braga, contra 30,5% do  governador e candidato à reeleição pela coligação “Fazendo mais por nosso gente”, José Melo (PROS).

Só que a frieza dos números não responde a certas indagações que leitores do Radar costumam fazer em suas mensagens para a turma aqui do site, como por exemplo: O que significa essa diferença entre Braga e os demais candidatos há cerca de um mês da eleição? Mas, a candidatura de Melo não deu uma subida nos seus percentuais de intenção de voto? Quais são as chances de Melo diante dos resultados dessa sétima pesquisa?

E como o Radar não se resume a ser mero repetidor de números estatísticos, e vai atrás de fazer o que pedem os nossos leitores, entramos em contato com Durango Duarte – nada mais justo já que a pesquisa é de sua empresa – para lhe fazer essas mesmas perguntas feitas e repassar as respostas para os leitores do Radar. Durango explicou que já era esperado Melo ter atingido 30% das intenções de voto. “O crescimento é natural considerando que quem detém o poder sobre a máquina pública sempre teve, historicamente, uma margem de 30 a 35% do eleitorado”. Mas, Durango explica, que a reeleição do governador fica cada vez mais difícil, diante da lentidão desse crescimento que já deveria ter ocorrido, levando-se em conta o histórico de eleições anteriores, logo depois das convenções partidárias. “O governador deveria ter atingido esse crescimento em julho, ou seja, ele levou 60 dias para atingir tal índice”, analisa.

Durango denomina isso de “mal sinal” e diz que agora “é um esforço descomunal para atingir novos índices de crescimento”. Ele diz que a situação ficou ainda mais crítica com o desempenho abaixo de esperado que o governador teve no debate. Segundo ele, em consulta popular feita por sua empresa, logo após o debate, foi registrado que na opinião dos eleitores, Melo empatou em 4% com o candidato ao governo do PSOL, Abel Alves, na opinião de quem viu o debate e avaliou como satisfatória sua participação. Braga agradou há 64% dos eleitores entrevistados.

“Isso significa, na linguagem de quem lida com pesquisa de opinião pública, que Melo está patinando (parou de crescer)”, explica Durango. E faz a seguinte previsão: Ainda há pela frente três debates eleitorais. O próximo é segunda-feira que vem, dia 08 de setembro, se o governador não conseguir melhorar seu desempenho, podemos lhe dizer até o dia 12 se a eleição está liquidada porque existe o fenômeno da candidatura trincar, que é quando as próprias pessoas que apoiam a candidatura desanimam porque notam a fragilidade de seu candidato, e aí começam a não ser gerados novos votos, e a campanha acaba quebrando de vez, sendo esvaziada”, diz Durango, prometendo fazer uma nova análise na próxima semana. (Any Margareth) Ver vídeo