Anestesiologistas rebatem teoria do governador de “sabotagem” nos equipamentos de anestesia do Adriano Jorge

Adriano-Jorge 18 e Nota

Principal exemplo dado pelo governador professor José Melo para justificar sua teoria de “sabotagem” contra sua administração, a quebra de aparelhos de anestesia no hospital Adriano Jorge tem outra explicação dada, através de publicação em um dos jornais locais, pelo Instituto de Anestesiologistas do Amazonas – IAA (ler nota na íntegra no final da matéria)

“A paralisação dos equipamentos de anestesia do Hospital Adriano Jorge, vem ocorrendo desde o mês de março de 2015, quando este instituto comunicou o fato verbalmente à direção do referido hospital e posteriormente enviou documento informando as condições de alguns equipamentos que já se encontravam, à época, sem uso por absoluta falta de manutenção”.

O instituto diz, na nota, que repudia “todas as insinuações que remetam, ainda remotamente, a responsabilidade de seus sócios sobre quaisquer problemas na saúde tais como falta de materiais e equipamentos, manutenção de equipamentos ou outros que atualmente estão, finalmente, sendo constatados pelo governador e eu comprometem a prestação de um serviço responsável e seguro à toda população. Inclusive porque os sócios deste instituto não têm qualquer ingerência na avaliação, aquisição e incorporação de equipamentos, visto que apenas realizam o serviço contratado”.

O governador também leva um desmentido no caso das declarações de que teria “honrado” com o pagamento das empresas terceirizadas que prestam serviço na área de saúde. “Reafirma-se ainda, que os valores devidos contratualmente pelos serviços já prestados, estão atrasados em mais de dois meses”. (Any Margareth)

Nota Anestesiologistas 18

Clique na imagem para ampliar